domingo, 21 de janeiro de 2018

ENTREVISTA COM PAWLO CIDADE, NOVO SECRETÁRIO DA CULTURA DE ILHÉUS


O Diário de Ilhéus, em sua edição nº 3.203, de 19 a 22 de janeiro de 2018, publicou esta entrevista com o novo secretário da Cultura do Município de Ilhéus. Reproduzimos aqui para que mais agentes culturais conheçam como pensa o novo gestor cultural da cidade.

O senhor está assumindo a Secretaria da Cultura do Município de Ilhéus, era o seu projeto ou foi uma consequência do seu trabalho na área?

Acredito que seja uma consequência natural. Minhas atividades ao longo destes últimos dez anos em pró de uma cultura mais comprometida, mais estruturada, mais dinâmica, mais raiz, tem me permitido percorrer os quatro cantos da Bahia demonstrando que experiência é importante, mais cultura se faz com profissionalismo e gestão.

2-      Qual o modelo de gestão o Sr. Pretende implementar na sua administração?

Um modelo extremamente participativo. Na Cultura tudo que a gente pensa, tem que pensar de forma coletiva. A responsabilidade deve ser compartilhada. Se você propõe um edital precisa ouvir o público alvo deste mesmo edital. Não dá para gerir de forma estrábica. Você precisa ser altruísta, precisa respeitar, precisa ouvir, ouvir e ouvir. Fazer, é uma consequência. O resultado é muito importante, mas o processo é mais ainda.

3-      Quais são os seus projetos para a área da Cultura no município?

Antes de pensar em projetos, precisamos primeiro no conceito de Cultura que que se deseja trabalhar. A partir da ideia que você faz de Cultura, você começa a construir um programa que se desdobra em projetos, estes em atividades e estas em metas. Assim, concebo Cultura a partir de sua principal tridimensionalidade: simbólica, cidadã e econômica. Estas três dimensões traduzem um conceito antropológico da Cultura e me permite pensá-la a partir de quatro linhas de ação: Fomento, Memória, Inclusão e Empreendedorismo. Em fomento, eu estimulo a criação, a fruição e a produção; em Memória eu mantenho vivo a nossa história, os nossos espaços, a nossa gente; em Inclusão em construo um programa de formação de plateia, descentralizo e desconcentro as ações culturais numa via de mão dupla: centro-periferia, periferia-centro e em empreendedorismo eu provoco o empoderamento, o profissionalismo, o comprometimento do agente cultural.  Na prática, ações como editais de fomento, revitalização de espaços culturais, qualificação e capacitação do agente cultural, festivais de música, teatro e dança, são algumas das ações que a Secretaria irá propor.

4-      Como o secretário pretende líder com os diversos movimentos e seguimentos culturais do município?

De maneira extremamente transparente, sem paternalismo, protecionismo, casuísmo e outros ismos que só servem para interromper o diálogo, travar o processo e bloquear o novo. Sou todo “ouvidos”. Tenho minhas convicções, meus argumentos, minha fé. Mas isso não quer dizer que eu seja inflexível.

5-      Existiam projetos e aspirações do conselho de cultura que foram interrompidos por gestões e ideologias. O Sr. vai retomar esses projetos dialogando ou executando com os grupos distintos?

Posso lhe dizer sem nenhum quiproquó que os projetos e as aspirações do CMC não foram interrompidos. Pelo contrário, foram vilipendiados pela gestão passada. A ausência de transparência com os recursos do fundo foi um grave problema. Não pretendo motivar o uso de um só real do Fundo Municipal de Cultura se não ouvir primeiro o conselho. São eles que conhecem as necessidades das câmaras setoriais. Portanto, eles são corresponsáveis por uma possível malversação dos recursos. Se eu errar, eles erram também. O diálogo com o CMC já começou.

6-      Numa cidade com o imenso patrimônio material – grande parte abandonado -  e também um vasto patrimônio imaterial, não preservado, como essas questões serão abordadas?

A gente precisa adequar a Lei nº 2.312/89 que trata da delimitação do centro histórico e estabelece os critérios de conservação e preservação do patrimônio ao novo Código Tributário do Município de Ilhéus. Sobretudo o artigo 12 que trata do desconto do IPTU para os prédios tombados. E adequar a Lei nº 2.314/89 sobre os tombamentos futuros do Município, tanto os bens materiais como os imateriais. Não tenho conhecimento do Município ter tombado sequer um bem imaterial. A Puxada do Mastro, por exemplo, é uma festa que precisa ser tombada. Além disso, precisamos trabalhar muito a educação patrimonial e criar um programa que crie multiplicadores “pertencentistas”. Queremos ainda fortalecer a Rede de Museus, criar um sistema setorial da área e conseguir uma sede para o Instituto Histórico e Geográfico de Ilhéus que já tem mais de 50 anos e nunca possuiu um espaço próprio.

7-       Como ficam os patrimônios culturais, especificamente a Casa de Jorge Amado, que foi ameaçada, no atual governo, de ser privatizada?

Parcerias públicas privadas, quando bem gestadas, funcionam. Veja o exemplo da Casa do Rio Vermelho, em Salvador. Mas o governo precisa acompanhar de perto, não pode deixar correr solto, sem fiscalização. O prefeito não pensa, nem nunca pensou em privatizar a Casa Jorge Amado. Pelo contrário, em breve haverá uma reforma estrutural. A ideia é torná-la um monumento vivo, como os museus contemporâneos. Paulinho, atual gestor da casa, tem feito um belo trabalho de conservação e atendimento na casa. A tendência é melhorar.

8-      O seu relacionamento com a UESC é muito bom, o Sr. Pretende estreitar esse relacionamento através de projetos e parcerias, com a UESC e outras instituições?

Com certeza. Tenho alguns projetos que vamos desenvolver com a UESC. Na verdade já iniciamos. Todas as ações que desenvolvermos com a universidade não vai ser pensando unicamente na cidade, mas na região como um todo. O que for bom para Ilhéus, será bom para Coaraci, Itajuípe, Una, Canavieiras...

9-      As questões relacionadas a sua área são imensas, não trataríamos numa entrevista, porém sobre o patrimônio material, o ser pretende intervir para evitar a degradação total do Palácio Episcopal e da União Protetora?

O Palácio Episcopal já foi beneficiado com uma emenda parlamentar e será restaurado brevemente pelo IPAC. Quanto a União Protetora ainda preciso me situar antes de tomar qualquer providência em relação ao espaço. Mas, lhe garanto, que ela está nos meus planos.

10-  (......) esteja a vontade?


Há muito expectativa na comunidade cultural em torno do meu nome. Trabalho muito com os pés no chão. Não vou conseguir agradar todos. Nem Jesus conseguiu esta façanha. Farei o que for possível para tornar Ilhéus melhor para quem produz cultura, para quem vive cultura, para quem saboreia arte. Confio em Mário Alexandre e tenho certeza que seu convite não foi casual. A confiança é recíproca. Espero desenvolver acordos que promovam a diversidade cultural,  o caráter aberto da cultura e a importância da criação e da participação cultural.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

ILHÉUS TEM NOVO SECRETÁRIO DA CULTURA

Pawlo Cidade e o prefeito Mário Alexandre
O escritor, dramaturgo e servidor público Pawlo Cidade foi empossado, nesta quarta-feira, 17, no comando da secretaria municipal de Cultura de Ilhéus, por ato do prefeito Mário Alexandre. A cerimônia aconteceu no Teatro Municipal, prestigiado por autoridades civis e religiosas, além dos principais representantes do segmento cultural. Compareceram também o vice-prefeito e secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, José Nazal Soub, o secretário de Turismo e Esportes, Roberto Lobão, que ocupava a pasta da Cultura interinamente, o pró-reitor de graduação da UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz), e o vereador Abrãao Oliveira, representando a Câmara de Vereadores.
O prefeito destacou as qualidades do novo secretário e ressaltou sua capacidade de trabalho na luta em prol da cultura ilheense e, especialmente, pela identidade afro-baiana. Mário Alexandre disse que é preciso ter criatividade na gestão de políticas públicas nesse momento de crise econômica que enfrentam os municípios. “O que estamos presenciando hoje é também um ato de valorização do servidor municipal. Estamos em um momento que precisamos aprender a fazer mais com menos. E a participação dos servidores tem sido fundamental para a comunidade”, sublinhou o prefeito.
Diálogo – Para a plateia lotada por atores, músicos e agentes culturais, Pawlo Cidade, que também é pedagogo e poeta, prometeu uma gestão de diálogo e transparência. “Temos condições de estabelecer parcerias e, sobretudo, contar com a criatividade dos atores sociais, culturais, e juntar todas as classes artísticas e todas as linguagens, a fim de promover um fortalecimento da arte em nossa cidade”, disse. E ressaltou. “Essa cadeira pertence a vocês. Represento um segmento, mas, acima de tudo, este setor caminha através da transversalidade de poder construir um caminho com vistas na igualdade e no respeito”.
Nascido em Ilhéuso novo secretário disse que pretende fazer uma gestão para atender todas as categorias do segmento cultural, imbuído da transversalidade, na possibilidade de instituir, na prática do fazer arte, uma analogia entre aprender conhecimentos sobre a realidade e as questões da vida real.
A solenidade contou com as participações artísticas do Grupo Afro e Balé Dilazenze, do Bloco Iorubá; da cantora ilheense Jack Barreto e do ator e poeta, Zé Delmo.  E foi prestigiada ainda pela presidente do Conselho Municipal de Cultura, Janete Lainha; o representante do Fórum de Agentes, Empreendedores e Gestores Culturais do Litoral Sul (FAEGSUL), José Carlos Negão, o vereador Pastor Matos, o Procurador Geral do Município, Márcio Cunha, além dos secretários de Comunicação, Alcides Kruschewsky; de Indústria e Comércio, Paulo Sérgio; de Governo, Alisson Mendonça; de Agricultura e Pesca, Valmir Freitas; de Educação, Eliane Oliveira; o presidente do Conselho de Entidades Afroculturais, Ney Rodrigues; dos conselheiros de Cultura, Jackes Rodrigues, Junior César Cotias, Djalma Fernandes e Eliane Fonseca; da Associação dos Ministros Evangélicos de Ilhéus (AMEI), Pr. Roberto Cerqueira; da Academia Grapiúna e Associação Cultural Amigos do Teatro (ACAT), Eva Lima; do presidente da OAB, Marcos Flávio; do presidente do Instituto Histórico, Euzner Teles; do presidente da Academia de Letras de Ilhéus, André Rosa Ribeiro; do coordenador do Departamento de Letras e Artes da UESC (DLA); da diretora do Conselho Estadual de Cultura da Bahia, Isamar Oliveira; do Professor e historiador, Arleo Barbosa e do Cacique Ramon. 
Fonte: Secom/Ilhéus - Foto: Rodrigo Figueroa

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

QUER SER COORDENADOR CULTURAL DO PROGRAMA ESCOLAS CULTURAIS?


O Instituto Ação Social Pela Música (IASPM), organização social que participa da gestão do Projeto Escolas Culturais, no uso de suas atribuições legais, torna público a realização do Processo Seletivo Simplificado para contratação de pessoal, em regime CLT.

DO CARGO

45 vagas para Coordenador de Cultura (tempo determinado)

DA FORMAÇÃO

Desejável Ensino Superior completo com experiência de gestão ou participação em projetos culturais e/ou educacionais.

DO CONTRATO

Jornada: 40 horas/semana
Início: Imediato

DAS INSCRIÇÕES

As inscrições serão realizadas, exclusivamente, via internet até às 23:59 do dia 27 de janeiro de 2018. Enviar para selecao@iaspm.org.br, com o título do e-mail “Coordenador Cultural”, os seguintes materiais:

  • Currículo, com indicação de cidade para a qual deseja concorrer (ver ANEXO I deste edital)
  • Carta de apresentação e motivação (até 2 páginas)

A carta deve conter uma descrição sucinta da experiência na gestão ou participação em projetos culturais e/ou educacionais e informação sobre pretensão salarial, além de resposta à seguinte questão: Quais as principais dificuldades encontradas pelos grupos culturais e de arte no seu município e como enfrentá-las?
  • Até três (03) documentos comprobatórios da experiência.

As comprovações podem ser websites, publicações, relatórios, vídeos ou outros produtos que evidenciem a participação do candidato/a nas experiências referidas. Os documentos devem ser anexados ao e-mail em um arquivo compactado (.zip ou .rar) com o nome do candidato/a.

DAS ETAPAS

Processo Seletivo Simplificado constará das seguintes etapas:

1ª Etapa: Inscrição, mediante envio do currículo, carta de motivação, comprovações de experiência e indicação de cidade para a qual deseja concorrer (ver ANEXO I deste edital).

2ª Etapa: Análise curricular (eliminatória e classificatória).

3ª Etapa: Teste de seleção (eliminatória e classificatória)

4ª Etapa: Entrevista individual estruturada (eliminatória e classificatória).

REQUISITOS/ESPECIFICAÇÕES:

  • Experiência comprovada em mobilização e articulação de artistas e/ou produtores culturais no território;
  • Experiência comprovada em gestão e/ou participação em projetos sociais, culturais e/ou educacionais na cidade e/ou no território;
  • Participação e/ou organização comprovada em atividades de formação na área de políticas públicas de cultura;
  • Desejável conhecimento da legislação estadual vigente, relacionadas ao campo da cultura (lei orgânica e plano estadual de cultura);
  • Disponibilidade para viagens.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS FUNÇÕES

  • Articular e manter contato com as redes territoriais do âmbito artístico e cultural;
  • Mobilizar públicos e redes específicas para as ações do projeto;
  • Difundir e divulgar ações do projeto;
  • Produzir e gerir as agenda das atividades culturais na escola;
  • Estabelecer relações institucionais com agentes culturais do município;
  • Trabalhar conjuntamente com os Centros de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, onde houver, na elaboração e ocupação de pautas na escola e no Centro;
  • Articular, com os Pontos de Cultura, onde houver;
  • Redação de relatórios de atividades e prestação de contas;
  • Articulação com órgãos governamentais de assistência social, cultural e demais entidades correlatas ao projeto;
  • Promover formação de parcerias com instituições que desenvolvam temáticas correlatas ao Projeto;
  • Promover o diálogo com estudantes e professores.
  • Promover integração com a rede de proteção social do município.
  • Promover o encontro entre projeto pedagógico da escola pública e as experiências culturais em comunidades locais e territórios.

HABILIDADES (PROFISSIONAIS/PESSOAIS):

  • Boa comunicação verbal e escrita;
  • Bom relacionamento interpessoal;
  • Autonomia e pró-atividade;
  • Pacote Office (word, power point, excel).


ANEXO I

O total das 45 vagas para Coordenador de Cultura estão distribuidas nos municípios listados abaixo, em ordem alfabética (uma vaga para cada):

Alagoinhas
Amargosa
Barreiras
Bom Jesus da Lapa
Brumado
Caetité
Camaçari
Candeias
Canudos
Conceição do Coité
Eunápolis
Feira de Santana
Gandu
Guanambi
Ibotirama
Ilhéus
Ipiaú
Ipirá
Irecê
Itaberaba
Itabuna
Itamaraju
Itapetinga
Jacobina
Jequié
Juazeiro
Lauro de Freitas
Luís Eduardo Magalhães
Macaúbas
Paulo Afonso
Porto Seguro
Ribeira do Pombal
Ruy Barbosa
Salvador
Santa Maria da Vitória
Santo Antônio de Jesus
Seabra
Senhor do Bonfim
Serrinha
Simões Filho
Teixeira de Freitas
Tanhaçu
Vitória da Conquista
Valença
Xique-xique

SAIBA MAIS EM: 

domingo, 7 de janeiro de 2018

ENCONTRO E FESTIVAL DE CAPOEIRA ACONTECEM NA BOCA DO RIO


Imagem meramente ilustrativa

O Centro Cultural e Educacional de Desenvolvimento da Cidadania Mus-e Brasil (Projeto Internacional Mus-e Brasil), através do Ponto de Cultura Efeito Cultural e do Grupo Internacional Mundo Capoeira, realiza o encerramento do Encontro Interestadual de Capoeiragem e do XIII IÊ Berimbau Capoeira Festival. Entre os dias 10 e 14 além de reunir representantes de outros Estados e  de cidades do interior da Bahia, o evento contará também com a participação de representante de diferentes países na cidade de Salvador.



A programação será realizada na sede do Projeto Internacional Mus-e Brasil (Ponto de Cultura) e na Faculdade Montessoriano. O Grupo Internacional Mundo Capoeira, entidade parceira do Mus-e Brasil, desenvolve o trabalho de difusão da Capoeira no Brasil e no exterior intercambiando estes conhecimentos com pelo menos 15 países.



O Ponto de Cultura do Mus-e Brasil desenvolve o Projeto Efeito cultural e oferece à comunidade local e adjacente, além de beneficiários de outras cidades, estados e países, e oferece as seguintes atividades como Escultura em Madeira, Oficinas de Berimbau e Caxixi, Ballet, Dança, Capoeira, Informática, Natação, Cursos na área da Capoeiragem e Intercâmbio Internacional.



Pontos de Cultura – Os Pontos de Cultura são uma ação prioritária do Programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura, que se baseia na criação de uma rede horizontal de articulação, recepção e disseminação de iniciativas culturais. Criados para dar condições de sustentabilidade a projetos e manifestações culturais sem fins lucrativos que desenvolvem ações nas comunidades locais, os Pontos de Cultura tornaram-se referência mundial de política cultural, sendo adotados em países como Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Costa Rica.



Os Pontos de Cultura agregam agentes culturais que articulam e impulsionam um conjunto de ações em suas comunidades, e destas entre si. A prioridade do programa são os convênios com governos estaduais e municipais, além do Distrito Federal, para fomento e conformação de redes de pontos de cultura em seus territórios.



Local

Faculdade Montessoriano (Rua Abelardo Andrade de Carvalho, 5 – Boca do Rio, Salvador – BA)

Centro Cultural e Educacional de Desenvolvimento da Cidadania Mus-e Brasil (Rua do Caxundé, 07, Boca do Rio, Salvador – BA

Informações: (71) 98704-1405



Quarta (10)

Oficina de Caxixi com o Mestre Bozó – 8h às 18h



Quinta (11)

Oficina de berimbaus ministrada pelo Professor Dublê do Mundo Capoeira – 8h às 18h



Sexta (12)

 8h da manhã – Vivências com Mestre Dendê – Bélgica e Mestre Samuray de Conceição do Coité;

 18h – Palestra sobre Capoeira e Terceiro Setor com Mestre Jailson Santos– Presidente Nacional do Mus-e Brasil

 20h – Roda Aberta

Local das atividades supracitadas – Faculdade Montessoriano na Boca do Rio



Sábado (13)

8h da manhã – Vivências com Mestre Bozó da Regional e com o Mestre Museu de Minas Gerais

14h Batizado e troca de graduações.

Local das atividades supracitadas – Faculdade Montessoriano na Boca do Rio



19h – Momento da musicalidade – apresentações das canções do Mestre Zé Baixinho de Minas Gerais e outro compositores da Capoeira

Local: Sede do Projeto Internacional Mus-e Brasil na Boca do Rio



Domingo (14)

8h da manhã – Aulão com Mestre Zé Baixinho de Minas Gerais

Local: Praça da Antiga Sede de Praia do Bahia







Assessoria de Comunicação - Secretaria de Cultura do Estado da Bahia – SecultBA

Telefone: (71) 3103-3442 / 3452



segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

FUNCEB PRORROGA INSCRIÇÕES DO KIT DIFUSÃO DO TEATRO DA BAHIA 2018



Os grupos e artistas de teatro seguem com uma ótima oportunidade de conservar suas produções artísticas. Seguem abertas até 10 de janeiro de 2018 as inscrições para o Kit Difusão de Teatro da Bahia 2018, que selecionará 30 espetáculos com temática livre e em diversos formatos que foram apresentados entre 2014 e 2017 e que ainda estejam em atividade, em cartaz ou em repertório dos artistas ou grupos.

Os interessados devem se inscrever pessoalmente ou via postal. O Kit, já em sua 3ª edição, é composto por um catálogo digital trilíngue (português, inglês e espanhol) com sinopse, informações técnicas, contatos e imagens dos espetáculos teatrais produzidos no estado, e que será disponibilizado no site da Funceb e entregue em um pendrive contendo todo o catálogo e os vídeos na íntegra.

De iniciativa da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBA), o Kit integra o Programa de Difusão das Artes Cênicas do Estado e promove diretamente a difusão, circulação e memória do Teatro da Bahia, além de estimular a criação, produção e pesquisa, através dos intercâmbios de conhecimentos e experiências.Os candidatos devem ficar atentos às especificações contidas no edital.


Serviço: Inscrição para Kit Difusão do Teatro da Bahia 2018
Presencial: Diretoria de Artes da Funceb - Rua Guedes de Brito, nº 14, Pelourinho
Via postal: Caixa Postal 2485, CEP 40.020-970, Salvador – Bahia
Período: até 10 de janeiro de 2018
Inscrições gratuitas

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

CULTURA TAMBÉM ESTARÁ PRESENTE NO PROJETO VERÃO 2018



Gestor Cultural e representante da secretaria municipal de Cultura (Secult) de Ilhéus, Pawlo Cidade (foto), anunciou hoje (28), durante a apresentação do Projeto Verão 2018, que uma série de oficinas e atividades de rua estará inserida na programação da alta estação, para atender a moradores locais e visitantes. Nos dias 5, 12 e 19 de janeiro, vão ocorrer apresentações do grupo “Circo de Lua”, uma escola de arte que vai montar sua tenda na praça Pedro Mattos, em frente ao Teatro Municipal.

A Secretaria Municipal da Cultura também promoverá nos meses de janeiro e fevereiro oficinas de teatro, iluminação, arte em papel, dança afro, rap e elaboração de projetos culturais. As oficinas serão realizadas na sede da Secretaria e na Biblioteca Pública Adonias Filho.

A oficina de Arte em Papel será coordenada pelo professor Joferson Ferreira, artista plástico e artesão, no período de 15 a 19, pela manhã e é destinada à jovens e crianças a partir dos 10 anos; a oficina de dança afro será de 17 a 19, também no turno matutino e será coordenada pelo Batuka Gêge, no foyer do Teatro Municipal, a partir das 10h; a oficina de Teatro Infantil será nos dias 17, 18 e 19 de janeiro, às 10h, para crianças e pré-adolescentes, às 10h, no Teatro Municipal e a oficina de Teatro Experimental será nos dias 13 e 20 de janeiro, aos sábados.

Ações piloto - Em fevereiro, as oficinas de Iluminação Cênica, com Paulo Rosário e Elaboração de Projetos Culturais, com Pawlo Cidade, acontecem entre os dias 15, 16 e 17, às 19h. Segundo o Secretário de Cultura Pawlo Cidade, as oficinas de verão tem como objetivo principal promover “a integração, sensibilidade, percepção, criatividade, autoestima, concentração e capacidade de transformação dos participantes em cada uma das modalidades propostas”. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na sede da Secult, das 12h às 17h, à Rua Jorge Amado, 21, Centro, no período de 02 a 12 de janeiro.
Pawlo Cidade destaca que as oficinas são ações piloto que, posteriormente serão levadas aos bairros periféricos de Ilhéus. “A proposta é, além de oferecer aprendizagem, formar mão-de-obra para atender as demandas do Teatro Municipal de Ilhéus, gerando oportunidades de emprego e renda”, disse.

A Secult também estará responsável pela organização de Ensaios de Blocos Afro, dias 11 e 18 de janeiro, que acontecerão na Concha Acústica, espaço popular de shows recentemente recuperado – e requalificado - pela Prefeitura. Uma Levada Cultural, com a participação de artistas e grupos culturais, acontece no dia 20 de janeiro, à tarde, animando as ruas do Centro Histórico de Ilhéus. 

Fonte: Secom/PMI

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

COMEÇAM HOJE AS INSCRIÇÕES PARA O CARNAVAL OURONEGRO 2018



Estimulando a valorização e a preservação da cultura de matrizes africanas, de comunidades e povos tradicionais no Carnaval, o projeto Ouro Negro, um dos mais significativos da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, completa 10 anos na edição de 2018. No Diário Oficial do Estado deste fim de semana, 16-17, foi publicado o edital do projeto, abrindo inscrições a partir de segunda-feira, 18, até sexta-feira, 22 de dezembro de 2017, às 17h.

Podem se inscrever entidades carnavalescas pertencentes às categorias Afro, Afoxé, Samba, Reggae e Índio. Os interessados em participar do processo de credenciamento devem enviar e garantir a regularidade de todos os documentos necessários. Os critérios, normas e disposições do credenciamento estão descritos no edital. O documento da declaração da Sefaz/FEASPOL poderá ser obtido nos postos SAC – Sefaz/BA. 

As entidades carnavalescas deverão cumprir o disposto no Art. 275, da Constituição do Estado da Bahia, bem como as recomendações da FENACAB, ficando vedada a exposição, exploração comercial, vinculação, titulação ou procedimentos que possam ser considerados prejudiciais para símbolos, adereços e expressões estritamente vinculados à religião afro-brasileira. A FENACAB recomenda, ainda, a não utilização dos adereços, vestes dos Orixás, N’Kises, e Encantados em seus desfiles de carnaval, demonstrando assim o respeito para com o Sagrado.

O acolhimento das inscrições será via e-mail, através do endereço eletrônico ouronegro2018@cultura.ba.gov.br, ou presencialmente, com a entrega dos documentos em envelope lacrado na sede da SecultBA, Palácio Rio Branco, Praça Thomé de Souza, s/n – Centro, CEP: 40.020-010 – Salvador, Bahia. Horários das 9h às 12h e das 14h às 17h. O final das inscrições, seja via e-mail ou presencial, se dará às 17h do dia 22 de dezembro de 2017.

Sobre o projeto –
 Criado em 2008, durante a gestão do então Governador Jaques Wagner, o projeto Ouro Negro oferece importantes subsídios para o apoio de agremiações de matrizes africanas e tradicionais dentro dos circuitos do Carnaval de Salvador. Desta forma, é promovida a preservação e valorização da presença destes blocos, com o desfile em alas e roupas tradicionais, assim como a maior participação da juventude, transmitindo o legado para as novas gerações. Dentro de suas comunidades, estas entidades contribuem para o desenvolvimento social através de projetos que estimulam a construção de uma cultura cidadã. 

Confira na íntegra o edital Ouro Negro 2018
Formulário de inscrição
Anexos


Serviço:

Inscrições Edital Ouro Negro 2018
Período: 
18 a 22 de dezembro de 2017 
Via e-mail: ouronegro2018@cultura.ba.gov.br - encerramento 22 de dezembro às 17h
Presencial: Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Palácio Rio Branco, Praça Thomé de Souza, s/n – Centro, CEP 40.020-010 – Salvador – BA) - das 9h às 12h e 14h às 17h

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

COMEÇA HOJE O PROCESSO DE ELEIÇÃO DOS NOVOS CONSELHEIROS ESTADUAIS DE CULTURA DA BAHIA



A Secretaria de Cultura da Bahia (Secult/BA) publicou na manhã desta sexta-feira, 8, portaria que estabelece os critérios e regras para o processo que elegerá 10 novos representantes titulares da sociedade civil como Conselheiros Estaduais de Cultura, bem como seus respectivos 10 suplentes. Todos os mandatos são para um período de quatro anos (2018/2021).

Metade das vagas (cinco titulares e cinco suplentes) se destinam a membros dos segmentos culturais e a outra metade, com mesma composição, a representantes dos territórios de identidade cultural do Estado.

PROCESSO ONLINE

As inscrições para candidatos e eleitores ocorrerão por meio de plataforma digital que funcionará a partir de hoje, às 9h, e deverá ser acessada diretamente na página da Secult (www.cultura.ba.gov.br). O período de inscrição se encerra às 18h do dia 14 de fevereiro de 2018.

Para participar do processo como eleitor é necessário ser maior de 18 anos, residir na Bahia, não possuir cargo comissionado em nenhum ente da administração pública, não ser servidor da Secult, entre outras declarações que deverão ser assinaladas no formulário de cadastramento. Os eleitores poderão votar em um candidato para representante de território de identidade e um candidato para representante de segmento.

Já os candidatos a conselheiro só poderão se inscrever ou para vagas destinadas aos segmentos ou para os territórios. Além dos critérios já mencionados para eleitores, o candidato deve preencher currículo demonstrando atuação no território ou segmento cultural, expor proposta para atuação no Conselho Estadual de Cultura (CEC), apresentar justificativa de sua candidatura, assim como outras declarações obrigatórias solicitadas no cadastro.

COMISSÃO ELEITORAL
Todo o processo eleitoral será organizado pela Secult sob a supervisão de uma Comissão Eleitoral responsável pela validação e homologação de candidatos e eleitores. Esta Comissão será formada por cinco membros: dois representantes indicados pela Secult, um indicado pelo Conselho Estadual de Cultura, outro pelo Fórum dos Dirigentes Municipais de Cultura e mais um pelo Fórum de Cultura da Bahia – cada um dos indicados com seus respectivos suplentes.

A Comissão ficará responsável ainda por julgar recursos, apurar, divulgar e assegurar a lisura do processo e dos resultados da eleição. A divulgação das candidaturas homologadas acontecerá no dia 15 de fevereiro de 2018 e o período de apresentação de recursos será do dia 16 ao dia 19 do mesmo mês. Os recursos devem ser remetidos - em formulário que estará disponível na plataforma digital – para o e-mail: eleicao.conselho@cultura.ba.gov.br . Já a eleição ocorrerá das 9h às 17h do dia 22 de fevereiro por meio da mesma plataforma.

DIVERSIDADE NA REPRESENTAÇÃO DE SEGMENTOS E TERRITÓRIOS
Serão eleitos como conselheiros representando os segmentos culturais os dez candidatos mais bem votados, sendo que os cinco primeiro serão eleitos titulares e os cinco demais suplentes. Deverá ser respeitada, contudo, a condição de que cada segmento só terá apenas um membro o representando.

Isso significa, por exemplo, que se o segmento de festas populares alcançar obter dois candidatos entre os 10 mais votados, apenas o primeiro mais bem colocado terá assento no Conselho, seja na condição de titular ou suplente. Assim 10 distintos segmentos estarão contemplados. A mesma regra e lógica se aplicará aos candidatos inscritos por territórios, o que permitirá que 10 territórios diferentes tenham representantes.

Além disso, só poderão se inscrever candidatos que representem segmentos ou territórios que hoje não têm representantes no CEC. A lista dos territórios e segmentos que podem ter candidatos aptos à inscrição está anexada na portaria que pode ser conferida aqui 

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

3º MÓDULO DO SEMINÁRIO CULTURA VIVA TERÁ TRANSMISSÃO ONLINE


Nesta edição o debate será acerca das Políticas Culturais: Cidadania, Territórios e Municípios Culturais


Gestores de Pontos de Cultura, dos Centros de Cultura e da Territorialização se reúnem para discutir o tema “Políticas Culturais: Cidadania, Território e Municípios Culturais” no terceiro módulo do Seminário Cultura Viva. Promovido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (SUDECULT), o evento acontece na próxima quarta-feira (13), a partir das 9h, no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT) no bairro de São Marcos, em Salvador, e terá transmissão online.

Na ocasião, a secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana, encontrará os membros da classe representada, para falar sobre a “Cultura da Bahia sob a perspectiva cidadã: acessibilidade e territorialização da cultura”. Já o superintendente da Sudecult, Sandro Magalhães, mediará a mesa de abertura, que terá como tema “Políticas Culturais: Cidadania e Territórios”, com as participações de representantes da Comissão Estadual dos Pontos de Cultura, do Conselho Estadual de Cultura e outros convidados

As diretorias que fazem parte da estrutura da Sudecult apresentarão suas devolutivas nas demais mesas da programação. A Diretoria de Cidadania Cultural (DCC) falará sobre a “Governança da PNCV: Gestão da rede de Pontos de Cultura da Bahia”; a chamada pública Ocupe Seu Espaço será o centro da apresentação promovida pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC); por fim, a Diretoria de Territorialização da Cultura (DTC) realizará o lançamento do Panorama e Municípios Culturais.

O Seminário Cultura Viva é uma ação de articulação, mobilização e capacitação para os gestores de  Pontos de Cultura. Trata-se de uma convocatória para alinhamento dos instrumentos institucionais, jurídicos e orçamentários disponíveis para execução desta, que é uma importante ação da Política Nacional de Cultura Viva do estado.

Em 2017 foram realizadas duas edições do Seminário, a primeira em fevereiro com o tema Prestação de Contas face à IN MINC 08/2016, e a segunda em maio, discutindo Boas práticas da Comunicação em rede. Os inscritos podem interagir por meio das salas de videoconferência do IAT e redes sociais.

Linguagens artísticas – Os Pontos de Cultura acolhem expressões culturais e linguagens artísticas múltiplas, por vezes não contempladas em chamadas públicas convencionais. Ponto de Cultura é um título de reconhecimento que o Estado Brasileiro atribui a instituições culturais que dinamizam e articulam a cultura local, oferecendo à comunidade oportunidade de acessar a cidadania cultural. As principais linguagens artísticas da Rede de Pontos de Cultura da Bahia são: musica teatro, dança, culturas de matrizes africanas, culturas indígenas e quilombolas, literatura e cultura digital, além de culturais GLBTT, audiovisual e outras.

Critério Territorial – Os pontos de Cultura da Bahia estão distribuídos em todos os 27 territórios de identidade, sendo que o Território Metropolitano de Salvador agrega 62 pontos de Cultura, seguido da Chapada Diamantina, que tem 18, Litoral Sul com 16, Recôncavo com 14, Portal do Sertão com 13. Os territórios que tem menos Pontos de Cultura são Itaparica e Piemonte Norte do Itapicuru que tem três Pontos de Cultura cada.

Programação – Seminário Cultura Viva Módulo 3 “Políticas Culturais: Cidadania, Territórios e Municípios Culturais”.

8h45 – Acolhimento
9h – Constituição da mesa: CEPdC, CEC | Boas vindas dos membros da mesa
9h20 – Abertura: Políticas Culturais: Cidadania e Territórios | Sandro Magalhães/SUDECULT
9h40 - Cultura da Bahia sob a perspectiva cidadã: acessibilidade e territorialização da cultura| EXma. Secretária de Cultura Arany Santana
10h10 – Diretoria de Cidadania Cultural | Governança da PNCV: Gestão da rede de Pontos de Cultura da Bahia
10h30 – Diretoria de Espaços Culturais | Edital Ocupe seu Espaço
10h50 – Diretoria de Territorização da Cultura| Lançamento do Panorama e Municípios Culturais
11h10 – Discussão
11h45 - Encerramento


Local: IAT – Instituto Anísio Teixeira


Data: Quarta-feira (13 de dezembro)