quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

SECULT PROMOVE OFICINA DE FOMENTO À CULTURA EM JANEIRO EM ILHÉUS


A SECULT lançou 21 editais setoriais com recursos do Fundo de Cultura da Bahia para apoio a propostas culturais de todas as linguagens e tipos, são R$41 milhões para projetos. Alguns municípios foram selecionados para receber uma Oficina de Fomento à Cultura que visa capacitar os interessados a preencher o formulário e enviar sua proposta obedecendo ao edital visando concretizar o projeto, Ilhéus foi um dos municípios escolhidos.


A oficina ocorrerá no dia 11/01/2014, sábado, das 08:00 ás 17:00 horas, no auditório Fernando Leite Mendes, sede da Secretaria de Cultura. As inscrições podem ser feitas no Conselho Municipal de Cultura ou pelo e-mail: cmcdeilheus@gmail.com A oficina tem duração de 8 horas. O curso é gratuito e conta com o apoio do Conselho Municipal de Cultura.

Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo na Funarte

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, e o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Guti Fraga, lançam nesta quinta-feira (19), o edital 2013 do Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo. O evento acontece na Funarte, no Rio de Janeiro.
Serão 200 prêmios, com investimentos que atingem quase R$ 10 milhões. Os interessados poderão se inscrever nas seguintes modalidades: circos de lona, números, espetáculos, formação, residência artística e pesquisa.

sábado, 14 de dezembro de 2013

EDITORIAL

DERAM UMA PEDRA AO MENINO
Pawlo Cidade*

Foto: Ariel Figueroa, registrando a subida de "Vilela"

O poeta grapiúna Firmino Rocha escreveu, há alguns anos atrás, um poema chamado “Deram um fuzil ao menino.” Este poema se tornou imortal porque retratava o momento de uma época, de perda da infância, de um genocídio. O mais engraçado - e irônico - de tudo isso é que ele não falava das favelas, dos morros, onde o tráfico continua, nos dias de hoje, dando fuzis sem precedentes aos milhares de meninos que servem de olheiros, aviãozinhos e outras denominações mais.
É bem provável, conhecendo pouco da natureza do poeta, que hoje ele certamente poderia dizer que, ao invés do fuzil, estão dando “pedras” aos meninos, aos jovens, às crianças. Quando “Vilela”, alcunha do jovem morador de rua que caiu do poste na Rua Coronel Paiva, se estatelou no chão, só me veio uma constatação: ele queria ser livre. Mas não sabia como, não tinha forças, não conseguia controlar o vício. Quantas vezes, muitos de nós, passamos por ele dormindo na calçada lateral do Teatro Municipal, “apagado”, pelo uso excessivo da maldita pedra que aplacava sua fome, seu desejo de viver.
Para muitos, o vôo de “Vilela” foi um alívio. Menos um, flanelinha, menos um morador de rua, menos um usuário de crack. Menos um. “Vilela” vai ser esquecido. Outros “Vilelas” tomarão seu lugar e continuarão amedrontando motoristas e pedestres. Aliás, já tomaram seu lugar. E eles sempre respondem por apelidos que, a princípio parecem estranhos, mas que caem como nomes de batismo.
Afirmei, em outra escrita, a partir de uma frase de uma professora, que a droga será vencida pela violência. E ainda continuo aceitando isso. Porém, antes mesmo que esta afirmação torne-se uma verdade absoluta – e absurda! – entre nós, a droga, sobretudo o crack, ainda irá levar muitos “Vilelas” para o limbo.
“Vilela” não é mais um. “Vilela” é ser humano. Parafraseando Firmino Rocha, eu diria adeus luares de dezembro, adeus sinos de natal. Nunca mais a inocência, nunca mais a alegria – que certamente ele não tinha, mas nos chamava de “doutor.” Nunca mais a corrida no barro vermelho, o caranguejo no mangue, o abraço da mãe que se foi. Agora é o asfalto frio, a descarga elétrica, agora é o crack da morte, rufando nos campos negros dos becos, das ruas, sob os pés violentos ferindo os passantes benditos.
Onde estão as autoridades? A quem interessa a morte de “Vilela”, que recebeu o apelido do lugar de onde veio? No caderno da polícia, apenas números. O jovem ficou sozinho, agonizando, esperando a morte chegar. Adeus Praia da Avenida, adeus Calçadão Marquês de Paranaguá, adeus tudo que é de Deus. Deram uma pedra ao menino.


* Diretor Artístico na Comunidade Tia Marita, escritor e produtor cultural.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

EDITAIS SETORIAIS DAS ARTES E DE GRUPOS E COLETIVOS CULTURAIS ESTÃO COM INSCRIÇÕES ABERTAS

Iniciativas como esta podem ser financiadas pelo edital de Circo

Com foco no apoio a propostas das linguagens artísticas e a grupos e coletivos culturais, a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), lança oito editais setoriais com recursos do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA): Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música, Teatro, além de Grupos e Coletivos Culturais, que volta a ter um certame incluído entre os mecanismos de apoio do Governo da Bahia. Juntos, estes concursos somam um total de R$ 15,860 milhões e objetivam estimular a rede produtiva de cada setor, abrindo possibilidade para a realização de quaisquer tipos de projetos relacionados à criação, pesquisa, formação, produção, difusão, circulação, memória e demais ações nas áreas específicas. As inscrições ficam abertas até 21 de janeiro de 2014 e podem ser feitas através de sistema online ou pelos Correios. As minutas dos editais, bem como seus anexos, podem ser consultadas no site www.fundacaocultural.ba.gov.br.

Neste formato setorial, lançado pela primeira vez em maio de 2012 e agora aberto para projetos a serem realizados a partir de 25 de julho de 2014, os editais da FUNCEB financiados pelo FCBA têm amplas possibilidades de incentivo, alcançando a demanda a ser apresentada pelos próprios artistas e profissionais inscritos.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O SANTO É DE MÁRMORE, A TRAMA É DE BRONZE


Sem nenhuma pretensão na orelha do meu mais novo romance O Santo de Mármore eu afirmo que para aqueles que não souberam dos episódios que se desencadearam nas semanas que antecederam a greve estudantil do IME, em 1987, e os dias que se seguiram durante o movimento grevista, desejo uma boa leitura. Mas para os que vivenciaram, passo a passo, os fatos, deixem perto deste livro um lenço. Ele lhe será útil. E, está mesmo sendo útil para os que até o momento têm externado suas opiniões a respeito do livro.
O maestro Antonio Melo foi o primeiro a comentar após ler a obra “Acabo de ler o livro O Santo de Mármore de Pawlo Cidade. É sensacional! Comecei curioso para entender o enredo e quando percebi já estava na metade do livro. Muito bom Pawlo. Muito bom saber que temos escritores que dignificam nossa região com uma escrita tão direta, pontual. Muito bom saber que nossa história tem bons narradores. Essa conversa de dizer que não temos bons artistas, bons escritores, que não temos cultura, que o quintal dos outros é bem melhor, tudo isso é balela. Basta assistir o que a cidade produz. Basta ler o que nossos autores escrevem. Recomendo mesmo o Santo de Mármore. Parabéns Pawlo. Já estou esperando seu próximo livro!”
A professora Simone Dias disse que passou o fim de semana se emocionando com o livro. Meu amigo Deraldo Pitombo declarou que “Jorge Amado nos ensinou que NÓS ilheenses temos o DEVER de prestigiar os escritores da terra. E é muito mais prazeroso cumprir este dever quanto admiramos o escritor. Gostei muito de ter estado na sua noite de autógrafos Pawlo Cidade. Renovo meus parabéns e votos de sucesso. Ivan Souto, testemunha ocular e principal líder do movimento estudantil na época dos acontecimentos de O Santo de Mármore se disse encantado com o livro “Não consegui parar de ler! Terminei no sábado pela manhã. Só não consigo distinguir o que é ficção do que é realidade. Parabéns."
Para quem ainda não leu o livro, o romance conta a história de uma greve estudantil realizada no IME, em 1987, após a demissão de quatro dos melhores professores daquela instituição de ensino. Vale salientar que estudar no IME não era uma conquista fácil, porque faltavam vagas. A procura era grande. Na época de matrícula, era preciso ter um amigo no legislativo ou até mesmo na Prefeitura para garantir uma vaga na escola. Se o aluno não tivesse um Q.I elevado, não entrava no IME. E não era preciso teste de admissão, porque ele já tinha sido abolido muitos anos antes. Mas, literalmente, um Q.I. - “Quem Indica”. Quem indica para uma vaga.
O professor Carlos Galdino, um dos professores demitidos na ocasião também falou sobre o livro ‘Quero dizer a Pawlo Cidade, que a leitura do Santo de Mármore arrancou-me uma lágrima... e agradecer. A minha grande alegria e realização pessoal, é ouvir sempre de muitos ex- alunos, o que você diz em seu livro, cheio de muita história do IME.”

O livro está a venda na livraria Papirus ou pode ser adquirido pessoalmente comigo ao preço unitário de R$ 30,00.

Publicado originalmente na coluna Coxia, do Diário de Ilhéus, sábado, 07/12/2013.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

PRÊMIO MANDACARU II


Prêmio Mandacaru II – Projetos e Práticas Inovadoras em Acesso à Água e Convivência com o Semiárido está com asinscrições abertas no período de 15 de novembro de 2013 a 15 de janeiro de 2014. O Prêmio busca identificar e apoiar projetos e práticas que tenham como base as tecnologias sociais de acesso à água e outras de convivência com o semiárido.

O tema para esta segunda edição do Prêmio é "Água, Participação e Soberania Alimentar", considerados os principais pilares para a busca da convivência harmônica e solidária com o Semiárido. O Prêmio, cuja premiação total é de R$ 1 milhão, possui quatro categorias direcionados a diferentes públicos beneficiários:

 - Categoria I: Experimentação no Campo – direcionada a associações e entidades de agricultores e agricultoras familiares. Prêmios: quatro primeiros colocados (R$60 mil cada);
 - Categoria II: Práticas Inovadoras - direcionada a organizações não governamentais. Prêmios: quatro primeiros colocados (R$100 mil cada);
 - Categoria III: Pesquisa Aplicada - direcionada a instituições de pesquisa. Prêmios: dois primeiros colocados (R$150 mil cada);
- Categoria IV: Gestão Inovadora - direcionada a órgãos e entidades governamentais federais, estaduais e municipais. Prêmios: dois primeiros colocados (R$30 mil cada).

O Prêmio faz parte do Programa Cisternas BRA-007-B. É realizado pelo Instituto Ambiental Brasil Sustentável (IABS), em parceria com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Para maiores informações e inscrições, clique aqui

(Fonte: IABS)
(Publicação: ASCOM / MINC)


sábado, 30 de novembro de 2013

BAHIA SERÁ UM DOS PRIMEIROS ESTADOS A RECEBER RECURSOS DO FNC


Acre, Rondônia, Ceará, Rio Grande do Sul e Bahia. Esses são os cinco estados brasileiros que já formalizaram os principais componentes do Sistema Nacional de Cultura (SNC): Fundo de Cultura, o Conselho de Cultura e o Plano de Cultura. Na Bahia, o Plano será submetido à Assembleia Legislativa. Por conta disso, esses cinco estados serão os primeiros a receber repasse de verbas do Ministério da Cultura, em2014, de acordo com a ministra da Cultura, Marta Suplicy.

Além disso, a Bahia se destaca por ter sido o único estado a realizar todas as etapas das Conferências de Cultura 2013: municipais, territoriais, setoriais e estadual. “A Bahia extrapolou, fez mais do que a gente tinha sugerido”, afirmou o secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (MinC), Américo Córdula, no Centro de Eventos Brasil 21, local do evento até o próximo domingo. Ao comentar sobre excelente desempenho do Bahia, Córdula ainda lembrou que os baianos já trabalham com a ideia de território cultural. “Isso é muito importante e demonstra que a participação da Bahia tenha sido uma das maiores no processo de construção das conferencias estaduais”. “A gente conta que no começo de 2014 possa já colocar os projetos que atendam ao Plano Estadual de Cultura da Bahia em consonância com o Plano Nacional de Cultura e a gente possa trabalhar juntos”, completou.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

TENDA DO TPI EMBAIXO D´ÁGUA!


A Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI) suspende temporariamente sua programação devido aos estragos provocados pelas fortes chuvas e a estreia do espetáculo Casa de Farinha foi adiada. Na última quinta-feira (28), o espaço cultural instalado na Avenida Soares Lopes foi inundado, com nível de água marcando 20 centímetros. Foram atingidos equipamentos de informática, som, iluminação, cenários, figurinos, livros e documentos. Pelo o que foi atingido, o grupo cultural estima prejuízo de mais de 100 mil reais.

O alagamento atingiu bilheteria, recepção, camarim e escritório. O palco ficou totalmente submerso e algumas placas de compensado já apresentam rachaduras.  A água atingiu ainda equipamentos do Núcleo de Produção Audiovisual e a Biblioteca Jorge de Souza Araújo, implantada recentemente, sofreu danos. “Só depois que o tempo melhorar, poderemos calcular as avarias com exatidão”, declarou o diretor artístico do grupo, Romualdo Lisboa.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

SECULT/BA DIVULGA PERÍODO DE INSCRIÇÕES PARA EDITAIS DO FUNDO DE CULTURA 2014

Entre os dias 03 de dezembro e 21 de janeiro de 2014, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) recebe inscrições para os 20 Editais Setoriais e Demanda Espontânea do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). Em 2014, ao todo serão investidos R$  41 milhões no FCBA repartidos entre Editais Setoriais, Mobilidade Artística e Cultural, Eventos Calendarizados e Instituições Culturais. Em relação aos editais, há um acréscimo de 10% do recurso em relação à última seleção, realizada entre dezembro de 2012 e janeiro deste ano.

Com a ampliação dos recursos, a SecultBa espera contemplar uma quantidade maior de projetos. “A expectativa é conseguir apoiar 400 projetos, mas tudo vai depender do volume e da qualidade do material recebido”, afirma o secretário de cultura Albino Rubim. Além disso, "abrir os editais agora é um esforço que a Secretaria  faz para  garantir estes recursos para todos os setores da comunidade cultural, mantendo a periodicidade das chamadas públicas, além do respeito e do diálogo com todas as áreas ", completa Rubim.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Três membros do Fórum de Agentes, Empreendedores e Gestores Culturais do Território Litoral Sul (FAEGSUL) estarão na III Conferência Nacional de Cultura.


Com a participação de gestores culturais de todo o país começa nesta quarta-feira (27), em Brasília, a 3ª Conferência Nacional de Cultura (CNC), cujo término é no domingo (1º de dezembro). O atual Presidente do FAEGSUL Letto Nicolau, o seu antecessor Pawlo Cidade e a coordenadora da Setorial de Museus Maria Helena estão de malas prontas para representar o Território Litoral Sul e o estado da Bahia na III Conferência Nacional de Cultura (III CNC). Para participar da conferência, os três se inscreveram como observadores e estão custeando suas despesas de hospedagem e transporte.

Para o presidente do FAEGSUL, Letto Nicolau, estar presente na III Conferencia Nacional de Cultura, mesmo como observador (já que os três integrantes do FAEGSUL não foram eleitos como Delegados) representa um momento importante para acompanhar as discussões sobre o tema e poder ajudar a construir uma política para a cultura, já que participou da Conferência virtual e na Conferência presencial não pretende ficar como observador passivo.

A 3ª CNC, que tem como tema: "Uma Política de Estado para a Cultura: Desafios do Sistema Nacional de Cultura", é um evento que reunirá representantes da sociedade civil e do poder público escolhidos nas conferências estaduais, além de membros do governo.
Mais notícias em http://www.cultura.gov.br/3cnc

terça-feira, 26 de novembro de 2013

OPINIÃO

Editais: se é para fazer, melhor fazer benfeito

Por Lárcio Benedetti


Petrobras, Natura, BNDES, Oi, Correios, Votorantim, Banco do Nordeste, Claro, Eletrobras, Cultura Inglesa, Vivo, Comgás, Banco do Brasil, Porto Seguro, Caixa… A relação de empresas que, nos últimos anos, fizeram uso de seleções públicas de projetos culturais, sociais, ambientais ou esportivos mostra que a prática dos editais tem se popularizado no Brasil.

São vários os aspectos positivos dessa modalidade de seleção. Mas, antes de optar pelo seu uso, o patrocinador deve estar atento a algumas condições, sem as quais corre o risco de colocar em prática um edital sujeito a críticas e desconfianças, contaminando não apenas a sua própria imagem como a dos editais em geral.

Em primeiro lugar, o edital precisa fazer sentido para a empresa. Ele não é sinônimo, mas sim resultado, de uma política de patrocínio.

Se ilustrarmos o patrocínio empresarial como uma matrioshka, o conjunto de bonecas russas, a melhor forma de seleção de projetos é a última e menor boneca. Para chegar a ela, a empresa necessita começar pela maior, que é o alinhamento do patrocínio à sua estratégia de comunicação corporativa ou de marca. Em seguida, deve elaborar uma política de patrocínio, a boneca seguinte que, finalmente, moldará a última: a alternativa de seleção que melhor se conecta às bonecas anteriores.

Se este exercício sinalizar o edital como modelo a ser adotado, o patrocinador vai deparar-se com a segunda condição: só deve seguir em frente se disposto a respeitar sete princípios.

domingo, 24 de novembro de 2013

CULTURA APROVA PROJETO QUE VALORIZA ARTISTAS LOCAIS


A Comissão de Cultura (FOTO) aprovou nesta quarta-feira (20) parecer do deputado José Stédile (PSB/RS) ao PL 4.473/2012, do deputado Júlio Campos (DEM/MT). A emenda proposta por Stédile estabelece “a obrigatoriedade de contratação de artistas locais para a abertura de apresentações musicais financiadas por meio de emendas parlamentares, nos termos da legislação federal de incentivo à cultura”. 

A mudança proposta pelo deputado visa respeitar a autonomia federativa dos municípios. “Nenhum ente será obrigado a contratar os artistas locais. Entretanto, aqueles que buscarem financiar shows ou apresentações musicais com recursos públicos transferidos pela União, deverão atender a esta condição”, explicita o relatório.
Para José Stédile, a aprovação da matéria é mais um instrumento de valorização da cultura local. “Aprovamos um projeto importante para o todo o Brasil pela valorização dos artistas locais e para cultura dos municípios”, disse.

A tramitação da matéria era conclusiva nas comissões permanentes, mas como houve divergência nos pareceres das comissões de Cultura e de Trabalho, o PL além de ser apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, passa ter sua apreciação obrigatória no Plenário da Casa.


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

LIVRO 1789 LANÇADO NA TENDA TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

Romualdo Lisboa e Pawlo Cidade

História e arte se misturam no livro 1789, de Romualdo Lisboa. O lançamento aconteceu na noite da última quarta-feira (20), após apresentação da ópera afro-rock homônima, também escrita e dirigida pelo escritor. A solenidade marcou o Dia da Consciência Negra na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI) e a plateia ainda participou de bate-papo com autor e elenco, mediado por Pawlo Cidade.  O espetáculo segue em cartaz nesta quinta e sexta-feira (21 e 22), às 19 horas. As entradas custam R$ 20 e R$ 10 para idosos, estudantes e associados do Cartão TPI.
            
Publicado pela Mondrongo Livros, editora do TPI, 1789 traz o texto da montagem, prefácio do jornalista e crítico teatral Valmir Santos, orelha de Gustavo Felicíssimo e apêndices do doutor Marcelo Henrique Dias, trazendo o comparativo com o fato histórico, e do mestre Felipe de Paula Souza, a respeito do audiovisual no teatro. A peça foi uma das contempladas pelo edital setorial de teatro do Fundo de Cultura da Bahia. 
            
Para Romualdo Lisboa, 1789 não apenas conta o fato histórico do levante dos escravos do Engenho de Santana, ocorrido em Ilhéus no século XVIII. “Nossa região ainda vive as consequências do declínio da lavoura cacaueira e busca novos empreendimentos como alternativa de desenvolvimento econômico. Talvez a resposta para sair dessa crise já faça parte da nossa realidade. Basta usar a criatividade”, comentou.
            

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

HOJE TEM LANÇAMENTO NA TENDA DO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS


DELEGAÇÃO BAIANA DEFENDE 10 PROPOSTAS NA CONFERÊNCIA NACIONAL DE CULTURA


A 3ª Conferência Nacional de Cultura, que começa no próximo dia 27, receberá uma delegação de 50 representantes da Bahia, que virão a Brasília para defender 10 propostas prioritárias para o Estado. Os baianos cobram, nesse conjunto de proposições, o desenvolvimento do programa nacional de formação em cultura, com garantias de recursos específicos da união, dos estados e municípios para esse programa.

A Política Nacional de Formação na Área da Cultura é uma ação estratégica do Sistema Nacional de Cultura, o tema central dessa 3ª Conferência, que também prioriza a participação da sociedade civil. A Bahia elegeu 33 delegados representantes de setores não governamentais, o que representa 66% da delegação que virá a Brasília, respeitando a premissa acordada para o debate nacional.

Na Bahia, foram realizadas 358 conferências municipais, entre junho e julho deste ano, além de 27 encontros chamados territoriais e outras 19 reuniões setoriais, todas deliberativas.

O Estado da Bahia promoveu três caravanas simultâneas que, durante 30 dias, percorreram o Estado, de norte a sul e de leste a oeste, para a realização das 27 Conferências Territoriais de Cultura. Somente essa mobilização reuniu 3,3 mil participantes.

A comitiva de delegados eleitos da Bahia para a Conferência Nacional contará com as representações: dos 27 Territórios de Identidade; das comunidades quilombolas; dos povos indígenas; de pessoas com deficiência; da Associação dos Dirigentes Municipais de Cultura e da Secretaria de Cultura do Estado.

O Estado realizou sua quinta Conferência Estadual, concebida com dois grandes objetivos, considerados alcançados pelo governo: o de ampliar e consolidar a participação social na construção das políticas culturais no estado da Bahia; e o de nortear a atuação da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia nos próximos anos, especialmente na implementação do Sistema Estadual de Cultura.


(Foto: Tacila Mendes, Secult/BA)

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Projeto Afro Cultural no Dilazenze




LIVRO E ESPETÁCULO 1789 NESTA QUARTA-FEIRA NA TENDA DO TPI


Para celebrar o Dia da Consciência Negra, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) realizará uma série de atividades especiais na Tenda. Nesta quarta-feira (20) às 16 horas, acontece a saída do Cortejo Afro, que percorrerá a Avenida Soares Lopes até a Praça Dom Eduardo. E às 19 horas, será apresentada a ópera afro-rock 1789, seguida do lançamento de livro homônimo, que traz o texto da peça escrita e dirigida por Romualdo Lisboa. As entradas custam R$ 20 inteira e R$ 10 para estudantes, idosos e associados do Cartão TPI.
          
O Cortejo Afro é organizado pelo Conselho das Entidades Afro-Culturais de Ilhéus (CEACI) e reunirá 13 grupos, entre blocos, capoeira, maculelê e afoxé. A concentração será na Tenda TPI e no final será projetado o documentário Samba de Terreiro, nas escadarias da Catedral de São Sebastião. O evento prevê ainda participação da banda SambaDila.
          


Além de conferir o espetáculo 1789, o público poderá participar do lançamento do livro e bate-papo com o autor. A mediação será feita por Pawlo Cidade. A obra da Mondrongo Livros – editora do Teatro Popular de Ilhéus – traz ainda colaborações do jornalista e crítico teatral Valmir Santos e dos professores Marcelo Henrique Dias e Felipe de Paula. O livro será vendido ao preço de R$ 30, mas titulares do Cartão TPI poderão adquiri-lo a R$ 25.
          
Através de saltos no tempo e espaço, a montagem 1789 conta a história do levante dos escravos do Engenho de Santana que aconteceu em Ilhéus, no final do século XVIII. Enquanto o mundo sentia os abalos da Revolução Francesa, escravos geravam o embrião do movimento sindical no Brasil, na capitania de São Jorge dos Ilhéus. Descontentes com as condições de trabalho, os cativos paralisaram suas atividades até 1791 e redigiram uma carta de reivindicações. O espetáculo continua em cartaz quinta e sexta-feira (21 e 22), sempre às 19 horas. 


Fotos: Flávio Rebouças.
Fonte: ASCOM/TPI

domingo, 17 de novembro de 2013

LANÇAMENTO DE O SANTO DE MÁRMORE FOI SUCESSO TOTAL

Na noite de 15 de novembro, feriado nacional, dezenas de pessoas estiveram presentes para o lançamento do livro O Santo de Mármore, do diretor artístico e escritor Pawlo Cidade. O livro que conta a trajetória de um grupo de estudantes que lideraram uma greve contra a demissão de quatro professores do Instituto Municipal de Ensino - IME, em 1987, mobilizou quase a cidade inteira.

A saudação foi feita pela professora e revisora Baísa Nora, em seguida, Pawlo Cidade explicou como a obra foi escrita e como ela está estruturada. Homenageou os quatro professores da época, agradeceu aos amigos e parceiros e deu início a sessão de autógrafos.








quinta-feira, 14 de novembro de 2013

É AMANHÃ...

O romance que narra a origem do movimento estudantil ilheense será lançado amanhã, a partir das 18 horas, na sede da Academia de Letras de Ilhéus. Você é nosso convidado.


Reserve logo o seu pelo e-mail: comunidadetiamarita@hotmail.com
Preço do exemplar: R$ 30,00
Enviamos para todo Brasil. Frete a consultar.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Proponentes da 2ª Chamada do Calendário das Artes 2013 têm até dia 22/11 para enviar novo cronograma

A Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Governo do Estado (SecultBA), reconvoca os inscritos na 2ª Chamada do Calendário das Artes 2013 para que apresentem novo cronograma de ação de suas propostas, através do preenchimento e envio de documento disponível no site:


O formulário de atualização deverá ser postado via Correios, utilizando o serviço de Aviso de Recebimento (AR), com prazo até o próximo dia 22 de novembro. A medida visa a garantir que os mais de 1 mil projetos inscritos neste concurso permaneçam aptos à concorrência, visto que o processo de seleção e a execução dos projetos a serem premiados foram adiados para 2014, em decorrência dos Decretos nºs 14.682 e 14.710/2013, que, respectivamente, determina o contingenciamento no orçamento das secretarias e órgãos estaduais e estabelece medidas para a gestão de despesas e custeio.

Tendo inscrições encerradas no último dia 26 de agosto, a 2ª Chamada do Calendário das Artes 2013 se voltava a projetos que fossem ser iniciados de 11 de novembro de 2013 a 30 de janeiro de 2014. Com a mudança, o início das propostas deverá agora ser alterado para data no período entre 22 de abril e 30 de junho de 2014. O processo seletivo será também remarcado para o ano que vem, adiando por consequência a divulgação do resultado do edital, que será publicado até o dia 26 de fevereiro de 2014. Todos os demais critérios e premissas ficam devidamente mantidos. Mais informações e orientações detalhadas podem ser encontradas na página eletrônica citada.


terça-feira, 12 de novembro de 2013

REUNIÃO DO FAEGSUL NESTA QUINTA-FEIRA

O Fórum De Agentes, Empreendedores E Gestores Culturais Do Território Litoral Sul Da Bahia, o FAEG-SUL e a nova diretoria, convidam a todos os fazedores e a todas as fazedoras de cultura do território para a reunião ordinária do dia 14 de novembro de 2013, próxima quinta-feira, às 09h00min no Auditório da Torre Administrativa da Universidade Estadual De Santa Cruz – UESC.

Os encontros mensais são abertos aos interessados e tem por objetivo possibilitar um diálogo com agentes públicos, artistas, produtores e realizadores culturais, rumo à construção e fortalecimento de uma política cultural para o nosso território.


“RECRIA TUA VIDA, SEMPRE E SEMPRE. REMOVE PEDRAS E PLANTA ROSEIRAS E FAZ DOCES.RECOMEÇA”. Cora Coralina

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

PROGRAMA CULTURAL DA EMPRESA ELETROBRAS 2014


Estão abertas as inscrições para a edição 2014 do Programa Cultural das Empresas Eletrobras. No total, serão investidos R$ 8 milhões em patrocínios.

Serão apoiados projetos de produção de teatro adulto (inéditos); teatro infanto-juvenil (inéditos); circulação de espetáculos teatrais (não inéditos); festivais de teatro; produção de filmes de longa-metragem; festivais de cinema; e fomento ao patrimônio cultural imaterial.

As inscrições devem ser feitas até 18 de dezembro, pelo site www.eletrobras.com/editalcultural. O período de seleção vai de 19 de dezembro de 2013 a 7 de fevereiro de 2014. Os resultados serão divulgados até 14 de fevereiro, com contratações a partir de 24 do mesmo mês.

No ano passado, 25 projetos foram contemplados após o processo de seleção, sendo 17% na região Nordeste, 53% no Sudeste, 9% no Sul, 7% no Centro-Oeste e 14% no Norte.

Desde 2010, quando o programa foi unificado para todas as empresas Eletrobras, foram investidos cerca de R$ 64 milhões.

*Com informações do site da Eletronuclear e do site Cultura e Mercado.


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

OBRIGADO, DESCULPE, COM LICENÇA, POR FAVOR

 “As pessoas vivem na defesa e ao mesmo tempo no ataque. Criticam, mas não reagem. E quando reagem encontram na violência a voz da liberdade.”
P.C.


“A droga vai ser vencida pela violência.” Esta frase ficou martelando na minha cabeça. Não precisei de muito tempo para chegar à conclusão de que ela é extremamente nociva. E se faz mais perigosa ainda se nós a tomarmos como uma verdade que não tem remédio. Um monstro que está diante de nossos olhos, um vírus prestes a virar epidemia. Precisamos criar projetos e programas que sensibilizem a opinião pública sobre a banalização da violência e a valorização da vida dos jovens. Temos que pregar a paz, o respeito, a colaboração nas ações e no discurso. Articular comunidades, indivíduos, grupos, associações e coletivos que comunguem da mesma ideia.

Antes eu até acreditava que algumas pessoas criam que a violência não chegaria até elas. Hoje estas mesmas pessoas ficam aterrorizadas só de pensar que elas podem ser as próximas vítimas. Há um medo quase incontrolável, nervos à flor da pele, reações inesperadas, atitudes impensadas. Se antes você se preocupava apenas com você, hoje você se preocupa com você e com que o outro pode fazer com você. Você anda armado, você fala mal, você grita, você bate, você faz antes mesmo de fazerem com você.

Não quero um dia descer a avenida, cruzar com corpos no chão, e passar por eles como se aquilo fosse normal. Não quero ver mãe matar filho, filho matar avô, avô sumir com neto e achar que tudo isso é normal. A violência não é normal. É ANORMAL! As pessoas vivem na defesa e ao mesmo tempo no ataque. Criticam, mas não reagem. E quando reagem encontram na violência a voz da liberdade. Uma liberdade hipócrita que dorme com uma ideologia e acordam com um adágio popular.

“Hoje eles pedem. Amanhã eles vão tomar!” Eles já estão tomando. Quando pedem dizem de outra maneira que você deve dar. Você é o responsável pela manutenção da epidemia. Precisamos criar oportunidades de inclusão social, com propostas concretas, com finalidades que garantam autonomia, espaços de convivência, ressocialização. A droga, em si, não é a causa final da violência. A violência está em nós. A violência é um fato social, ela existe de maneira própria, independente de quem a use. Não ouso afirmar que ela tem como base a pobreza. Seria estupidez. Há muitos alicerces a serem explorados.


A violência física ou simbólica é inata. O homem a traz contigo. Não consegue freá-la – salvo raras exceções - em situações de estresse. Extravasa, exterioriza, cospe, vomita. A saída está na sensibilização, no discurso, na ideologia, e, sobretudo, no amor. E este começa no abraço, no aperto de mão e nas palavras obrigado, desculpe, com licença e por favor. Quatro palavras simples que abrem portas, quatro chaves pequenas que podem resolver muitos problemas.

Texto de Pawlo Cidade, Diretor Artístico da Comunidade Tia Marita

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

FILARMÔNICAS VÃO PARTICIPAR DE QUALIFICAÇÃO


Com o objetivo de atualizar, ampliar e aprimorar as vivências musicais de instrumentistas e regentes das filarmônicas atuantes no estado, a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia (SecultBA), realiza a primeira edição das Jornadas de Qualificação Musical de Filarmônicas. A ação integra a segunda etapa do Programa de Apoio às Filarmônicas do Estado da Bahia, realizada ao longo deste ano com patrocínio da CAIXA Econômica Federal. Os encontros ocorrerão em três cidades de diferentes macroterritórios da Bahia, no intuito de alcançar públicos e regiões diversas: Bom Jesus da Lapa, no território do Velho Chico, no oeste, de 15 a 17 de novembro; Canavieiras, no Litoral Sul da Bahia, de 22 a 24 de novembro; e Jacobina, no Piemonte da Diamantina, de 6 a 8 de dezembro. As inscrições são gratuitas e estão abertas através de formulário disponível na página:

CANAVIEIRAS – Macroterritório 1
Onde: Escola Professora Noécia Vidal Cavalcante
Quando: 22 a 24 de novembro
(sexta e sábado, 9h às 12h e 14h às 17h; domingo, 9h às 12h e 14 às 19h)
Inscrições: Até 17 de novembro

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

COMO VENCER EDITAIS


  • Faça um calendário com os editais para se programar;
  • Use linguagem objetiva: evite termos acadêmicos ou artísticos;
  • Faça um orçamento compatível: estimativas exorbitantes têm menos chances;
  • Proponha atividades complemen-tares: oficinas ou exibições itinerantes são pontos positivos;
  • Atenha-se à cultura: projetos exclusiva-mente comerciais, de fundo político ou que tratem de religiões específicas são barrados;
  • Leia todas as regras do edital: especifique o público-alvo e por que o projeto é relevante;
  • No caso de leis de incentivo, é ideal já ter um patrocinador antes da inscrição.




OI FUTURO LANÇA EDITAIS DE CULTURA


A Oi é uma das maiores patrocinadoras da cultura brasileira e tem, nos últimos dez anos, acreditado no poder transformador da arte. Com o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, apoia projetos nas mais diversas regiões do País e nas mais variadas áreas artísticas, reafirmando anualmente, em Editais Públicos, seu compromisso com a cultura.

Esse apoio tem se concretizado por meio da seleção de projetos culturais em duas linhas de investimento. A primeira delas corresponde à Seleção Nacional de Projetos Culturais 2013/2014, voltada a projetos apoiados por Leis Estaduais de Incentivo à Cultura em todo o Brasil. Já a segunda é a Seleção da Programação dos Centros Culturais Oi Futuro 2013/2014, localizados nas cidades do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte, para projetos inscritos nas Leis Estaduais e Municipais de Incentivo à Cultura desses estados/cidades.

Desde sua primeira edição, duas referências principais têm orientado a seleção realizada pelos Editais. Estimular novas linguagens artísticas, apoiando criações que proponham e promovam o cruzamento entre arte, ciência e tecnologia, e a convergência de meios e de suportes. E promover a democratização do acesso à produção artística pela valorização de projetos mobilizadores de público e que fomentem a formação de plateias, dialogando especialmente com o público jovem.

Esta nova edição do Edital mantém essas referências. Por um lado, enfatizando o uso inovador da tecnologia nas suas variadas possibilidades. Por outro, convidando artistas e criadores a desenvolver e disponibilizar conteúdos digitais para promover uma circulação ainda mais abrangente da produção cultural brasileira.
Boa sorte!


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

GUSTAVO FELICÍSSIMO FARÁ PALESTRA NA ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS


O escritor e editor da Mondrongo, Gustavo Felicíssimo, especialista em Literatura Sulbaiana, faz palestra na Academia de Letras de Ilhéus, oportunidade em que mostrará a face de um Sosígenes Costa incomum e pouco estudado no meio acadêmico.
A palestra, que faz parte do projeto Primavera da Letras, será acompanhada do relançamento do livro COBRA DE DUAS CABEÇAS, obra que reúne prosa e poesia inédita de Sosígenes Costa. O tema da palestra: Aquele Sosígenes que lhes falei: reflexão sobre a face proscrita do poeta.

Confira:

Quando: Dia 21 de Novembro de 2013 (Quinta-feira)
Onde: Academia de Letras de Ilhéus
Início: 19 horas em ponto

Entrada Gratuita

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

LITERATURA INFANTOJUVENIL REGIONAL FOI TEMA DE BATE-PAPO NA TENDA

            
Neila Brasil, Joilson Maia, Sílvia Kimo Costa e Pawlo Cidade

A relação entre a literatura infantojuvenil regional na escola e no dia a dia foi um dos assuntos abordados no Encontro com Escritores da última quinta-feira (31). Mediado por Pawlo Cidade, o bate-papo aconteceu na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, reunindo os autores Neila Brasil, Joilson Maia e Silvia Kimo. A respeito da valorização das obras regionais no contexto escolar, foram unânimes sobre a colaboração dos professores. “Às vezes o educador não é um leitor”, declarou Neila Brasil sobre as dificuldades e preconceito por parte de escolas que, às vezes, preferem livros de grandes editoras ou escritores famosos sem conhecer trabalhos locais.

Antes dos debates, cada convidado falou sobre as motivações para sua carreira literária. Silvia Kimo, que é também ilustradora, disse que seu amor inicial foi desenhar. E, depois de criar personagens e cenários inspirados em mangás japoneses, passou a escrever histórias. Joilson Maia falou que ler é uma paixão que carrega desde a infância e começou a escrever para crianças a partir das histórias que contava para o filho na hora de dormir. Neila Brasil, que é graduada em Letras, passou a escrever as próprias histórias a partir de pesquisas sobre Monteiro Lobato.

A respeito do mercado editorial, os três escritores relataram alguns obstáculos para publicar suas obras em grandes editoras e as limitações das cotas, restritas a 10% da tiragem e a menos de 30% dos lucros. Joilson disse que começou de forma independente, com a ajuda de patrocinadores nos seus cinco primeiros anos no segmento literário. Silvia disse que publica quantidades fechadas em pré-vendas. Para Neila, a internet e as redes sociais são ferramentas que ajudam a divulgar os trabalhos.

Em relação ao contato com os pequenos leitores, os autores afirmaram que é uma experiência fantástica. “Sempre me emociono muito, pois me lembro da minha infância”, relatou Silvia. Para Neila, a figura do escritor está a serviço da sociedade e até já recebeu um livro escrito por uma pequena leitora. Joilson falou do carinho que recebe das crianças e também dos pais. “Pedem autógrafos, somos tratados como celebridades”, disse.

Além de escreverem, os autores ainda participam de ações de incentivo à leitura e escrita. Neila Brasil conta com o projeto “Como se faz um autor”, indo às escolas e conversando com professores e coordenadores pedagógicos, além de ter um grupo de teatro infantil. Joilson Maia realiza contação de histórias em instituições públicas. E Silvia Kimo também visita escolas, realizando palestras e ouvindo as opiniões dos jovens leitores.


Os escritores, que declararam amor incondicional à literatura, falaram também sobre o papel essencial da família ao incentivar ao hábito de ler. Eles ainda destacaram o desafio de atrair a atenção das crianças e adolescentes tão ligadas ao audiovisual para os livros. “A leitura é para distrair, ir além do imaginário”, ressaltou Silvia Kimo.

Fonte: Ascom/TPI

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

PEC 150 ATENÇÃO!!!

NOTÍCIA DE HOJE NO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO:

"Henrique Eduardo Alves (Presidente da Câmara dos Deputados) se comprometeu a colocar em votação, no dia 5 de novembro, a PEC 150 - que obriga a União a destinar 2% do orçamento para a Cultura. 

Data escolhida a dedo: é o Dia Nacional da Cultura."

TUDO, MAS ABSOLUTAMENTE TUDO, TEM QUE SER FEITO NESTES DIAS ATÉ TERÇA QUE VEM: CONTATOS COM DEPUTADOS FEDERAIS DE TODO O PAÍS PARA QUE CONFIRMEM QUE HAVERÁ A VOTAÇÃO E QUE VOTEM A FAVOR. QUEM PUDER IR A BRASÍLIA TEM QUE ESTAR LÁ (o pessoal de São Paulo vai a Assembleia Legislativa do Estado às 10h lutar por 100 milhões nos Editais do PROAC, mas da ALESP pode-se fazer uma transmissão ao vivo para Brasília e a votação no DF deve ser à tarde/noite - quem pude checar agradecemos). 

ENFIM, OUTRAS IDEIAS QUE POSSAMOS EXECUTAR PARA ESTE DIA 5, POIS ESTA É A MAIOR LUTA DE TODO O SETOR CULTURAL DO PAÍS HÁ ANOS!!!
MANIFESTEM-SE POR FAVOR.


VOZES DO BRASIL EM ILHÉUS - Projeto leva para o palco do Centro de Convenções música de qualidade a preços populares


Depois de abrir a turnê em Porto Seguro, no início de outubro, o projeto Vozes do Brasil desembarca agora em Ilhéus, com shows de Flávio Venturini e Christiano Reiz, no dia 1° de novembro e Margareth Menezes e Juba Gonzaga, no dia 02. Com o objetivo de entrelaçar diferentes vozes e ritmos da Música Popular Brasileira, o projeto promove uma verdadeira conexão reunindo um time de grandes artistas nacionais além de nomes regionais. As apresentações acontecem às 19h, no Centro de Convenções de Ilhéus - Auditório Jorge Amado, com ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

O projeto percorrerá seis cidades baianas, entre outubro e dezembro de 2013, realizando, ao todo, 14 shows, promovendo diferentes conexões entre grandes nomes da MPB como Marina Lima, Tulipa Ruiz, Mariana Aydar, Paula Lima e Céu. Com patrocínio da Petrobrás, o Vozes do Brasil terá bilheteria líquida doada integralmente para instituições sociais parceiras.

Após a apresentação em Ilhéus, o Vozes do Brasil segue turnê em Salvador (dias 08 e 09/11 – 29 e 30/11), Vitória da Conquista (dias 22 e 23/11), Juazeiro (dias 06 e 07/12) e Alagoinhas (dias 20 e 21/12).

Flávio Venturini (foto) – O cantor apresenta seu novo CD intitulado Venturini, produzido ao longo de um ano e meio e que traz regravações de “Todo azul do mar” e “Até outro dia” – esta última da parceria com Kaká Raimundo. As inéditas “Enquanto você não vem”, de André Mehmari e Murilo Antunes, e “Sol interior”, de Flávio e Márcio Borges, também estão no repertório, que tem ainda “Tarde solar”, que ele compôs com Alexandre Blasifera. Ivan Lins é o convidado da faixa, enquanto o franco-senegalês verteu “A cor desse mistério” (Comme il vient), de Márcio Borges, para ele cantar em francês.


Margareth Menezes - A cantora leva para Ilhéus o show ‘Para Gil e Caetano’, onde interpreta de modo marcante, canções de Gilberto Gil e Caetano Veloso, dois ícones da música popular brasileira. Todas as canções são acompanhadas por um mix eletroacústico do violão do cantor e compositor baiano Alexandre Leão, participação especial, mesclado com a guitarra de Adail Scarpelini e as percussões de Gutto Messias e Daniela Penna. No repertório, “Como 2 e 2” (Caetano, 1971), “Milagres do Povo” (Caetano Veloso, 1985) e “Buda Nagô” (Gil, 1992), evidenciando a ancestral africanidade e baianidade embutidas na voz de Margareth.


Serviço:
Projeto Vozes do Brasil em Ilhéus
Shows: 1° de novembro - Margareth Menezes e Christiano Reiz
             02 de novembro - Flávio Venturini e Juba Gonzaga

Horário: 19h
Local: Centro de Convenções de Ilhéus - Auditório Jorge Amado
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Vendas: Ilhéus: Stand do Karioka
              Itabuna: Loja Bicho Festeiro (Shopping Jequitibá)