quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

2010, UM ANO ABENÇOADO!

Pawlo Cidade em noite de autógrafos na Academia de Letras de Ilhéus


Tivemos um ano abençoado. Muitos projetos foram realizados. Tivemos aprovado o Projeto Ouvindo um Tesouro, pela demanda espontânea do Fundo de Cultura da Bahia, obtendo a segunda melhor pontuação na seleção. Como produto, geramos o primeiro audiolivro do autor Pawlo Cidade: "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", adaptado de sua obra homônima publicado pela Editora Via Litterarum em 2005 e segunda edição em 2010.

Participamos do Projeto "O Guardador de Livros", criado pela Agência ÌCaro Comunicação e liderado pelo Rotary Clube de Ilhéus, para a construção da primeira biblioteca pública da Barra.
Realizamos, em parceria com a Editora Via Litterarum o seminário "Bahia de Todas as Letras", sob a direção de Gustavo Felicíssimo e de Pawlo Cidade. Na oportunidade, a editora e este último lançaram de uma só vez os livros: As Aventuras de João e Maria, Mistério na Lama Negra, A Batalha dos Nadadores e O Caminho de Volta.


Pawlo Cidade lançou em Uberlândia, MG, o livro ECOTEATRO que aborda uma série de jogos e exercícios que facilitam a discussão de conceitos ecológicos através do teatro.


O espetáculo Cangaço, do grupo Teatro Total, ligado a Comunidade Tia Marita, foi premiado no Edital Jurema Penna de Estímulo à Circulação de Espetácuos de Teatro do Estado da Bahia. Viajamos no início de novembro para as cidades de Aporá, Monte Santo, Queimadas, Valente e Jacobina, realizando apresentações e oficinas sobre o processo de montagem da peça.


Nosso diretor artístico Pawlo Cidade foi eleito para a cadeira número 13 (antes pertencente a Jorge Amado e posteriormente a Zélia Gattai) da Academia Ilheense de Letras.


E para fechar com chave de ouro o ano de 2010, depois de dois longos anos emperrado na PROGER do Estado, o Projeto FORTEATRO-SUL foi finalmente liberado para assinatura do TAC e em 2011 ele será realizado em 15 cidades do Litoral Sul. O projeto é proposto pela Sociedade Filarmônica Capitania dos Ilhéos (com ó mesmo), e escrito por Letto Nicolau e Pawlo Cidade.


Tudo isso graças ao empenho e o dinamismo da equipe Tia Marita, inspirados pela permissão de Deus, pois, sem ele, nada disso seria possível.


Em 2011, esperamos multiplicar estas atividades e fortalecer ainda mais o nosso trabalho. Obrigado a todos que direta ou indiretamente contribuiram para a realização destes projetos.

sábado, 25 de dezembro de 2010

PRESÉPIO VIVO, DOZE ANOS DE SUCESSO!


Maria (Viviane Siqueira)

Pr Joselito Prates (Rei Mago)

Igo Pabro e Rafael Siqueira (Reis Magos)


A árvore de Natal na recepção

Pela 12a vez consecutiva, o Grupo Teatro Total apresenta o Presépio Vivo, no Hotel Transamérica. Bastante elogiado pelos hóspedes e pelos funcionários do Hotel, graças a sua originalidade, o presépio configura-se como uma das mais importantes atrações nas comemorações natalinas. Enquanto as crianças recebem seus presentes, pais e parentes tiram fotos ao lado dos bonecos/atores. Direção e concepção de Pawlo Cidade; Som e Luz da Som Cris. Produção e figurino, PC; cenário de Joferson Ferreira.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

OFICINAS DE INICIAÇÃO ARTÍSTICA ENCERRAM SUAS ATIVIDADES


"Ensaio", texto final dos alunos de Teatro II


Terminou ontem as Oficinas de Iniciação Artística da Fundação Cultural de Ilhéus. Mais de cem alunos, distribuídos entre os cursos de Bateria, Violão, Canto e Coral, Pintura em Tela, Desenho, Pintura em Tecido, Arte em Papel, Restauração e Interpretação Teatral I e II subiram ao palco do Teatro Municipal de Ilhéus para apresentar o resultado de todo o trabalho de 2010.

"Esperamos poder ampliar a oferta de vagas no ano vindouro. Estas oficinas se transformaram em referência para o público de todas as idades. A de Teatro, por exemplo, já revelou atores globais, como é o caso de Fábio Lago", revela o Assessor Cultural da Fundação, Pawlo Cidade.

As oficinas ocorrem em dias alternados, sempre de março a dezembro de cada ano. Neste ano, duas delas, "Canto e Coral" e "Violão", foram em parceria com o Ponto de Cultura da Universidade Estadual de Santa Cruz, ministradas pelos professores Adriana Albuquerque e Tony Marques. As demais, tiveram a capacitação de Sabará (bateria), Makalé (pintura em tela e desenho), Maria Hoisel (pintura em tecido), Joferson Ferreira (Arte em Papel), Tula (Restauração), Pawlo Cidade e Jocélia Kaffer (teatro I e II).

"O objetivo é revelar talentos. A metodologia aplicada permite a entrega dos alunos, a espontaneidade, a relação com o outro e o estar em cena, seja através do desenho, seja através do palco", afirma o Presidente da Fundação Cultural, Maurício Corso. O mestre de cerimônias das oficinas contou com o cover de Sílvio Santos, Emerson, que divertiu a plateia calorosa que prestigiou o evento.

A partir de fevereiro de 2011, as inscrições estarão novamente abertas para novas turmas. Elas são gratuitas e podem ser feitas na sede da Fundação Cultural.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

ALEGRIA DE VIVER INICIA TURNÊ PELO INTERIOR


Cena do espetáculo



Contemplado pelo Edital Jurema Penna promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia/Fundo de Cultura, o espetáculo Alegria de Viver inicia sua turnê pelo interior do Estado.
O que criamos no mundo? O que fazemos com nossa criação? Este jogo de percepções, imagens, fantasias e memórias são trazidos à cena no espetáculo “Alegria de Viver”, com Deborah Moreira, também autora do texto, e George Mascarenhas, que assina a direção da peça. Alegria de Viver inicia sua turnê pelo interior com apresentações em Ilhéus, nos dias 18 e 19 de dezembro, às 20h, no Teatro Municipal de Ilhéus. Também estão previstas apresentações nas cidades de Jequié e Brumado para 2011, sempre com ingressos populares.
Alegria de Viver traz para a cena um Escultor que deseja se desfazer do seu passado e de suas obras antigas, em busca de novos estilos de criação. Revoltada com a atitude do seu criador, uma Escultura ganha vida para reivindicar seu lugar.
Criado pelos atores George Mascarenhas (Francisco, A Princesa e o Unicórnio), que também assina a direção, e Deborah Moreira (Clarices, Ensina-me a Viver), autora do texto, Alegria de Viver tem inspiração na obra do pintor francês Henri Matisse - cuja tela de 1905 dá nome à peça - e surge da pesquisa de linguagem do teatro físico de Etienne Decroux. Com uma dramaturgia própria, o espetáculo privilegia a dinâmica do movimento e da ação, em diálogo com as projeções em vídeo, criadas pelo jovem cineasta Dedeco Macedo, a partir das pinturas de Matisse e Zuarte Jr, e da música de Luciano Salvador Bahia e Erik Satie. O resultado é um espetáculo leve, pleno de beleza e poesia.
O espetáculo que teve sua estréia em 2009, tem realizado diversas temporadas em Salvador e participou da Mostra internacional de mímica contemporânea em São Paulo e do Festival Nacional de Teatro da Bahia.
Ao lado das apresentações, o projeto de circulação pelo interior de Alegria de Viver propõe a realização de oficinas gratuitas de mímica corporal dramática e escrita dramatúrgica coordenadas, nos dias 16 e 17 de dezembro, para todos os interessados. As oficinas são coordenadas pelos criadores do espetáculo. Para inscrições e informações, envie um e-mail para oficinasmimus@gmail.com

Ficha Técnica
Texto: DEBORAH MOREIRA
Direção: GEORGE MASCARENHAS
Elenco: DEBORAH MOREIRA e GEORGE MASCARENHAS
Assistente de direção e de produção: ZENNY LUZ
Figurinos: DEBORAH MOREIRA e WALDETE MASCARENHAS
Ambientação cênica: GEORGE MASCARENHAS
Iluminação: LUCIANO REIS
Trilha Sonora: LUCIANO SALVADOR BAHIA
Videos e fotos: DEDECO MACEDO
Design gráfico: YARASARRATH LYRA
Adereços: AGAMENON DE ABREU e AMINCHA TORRES
Cabelos: ISIS CARLA
Maquiagem: WILSON D’ARGOLO
Direção de Produção: Piti Canella

O que: espetáculo teatral Alegria de Viver (edital Jurema Penna)
Onde: Teatro Municipal de Ilhéus
Quando: dias 18 e 19 de dezembro, às 20h
Ingressos populares: R$ 5,00



terça-feira, 7 de dezembro de 2010

MAIS BAIANOS PRODUZINDO CULTURA, MAIS CULTURA PARA TODOS OS BAIANOS

Cangaço, vencedor dos Editais:
Manoel Lopes Pontes de Montagem - 2008 e Jurema Penna de Circulação - 2009

Uma grande mudança faz a cultura da Bahia pulsar mais forte. A nova política do Governo do Estado faz com que muito mais pessoas tenham acesso à produção, bens e serviços culturais. Agora, os investimentos podem chegar a todas as cidades, de maneira transparente. Por tudo isso, a Bahia acaba de ser reconhecida como o segundo estado do País que mais investe em cultura. Isso significa que o Governo está financiando projetos para muito mais artistas, instituições e produtores, beneficiando muito mais cidadãos. A cultura que o Brasil inteiro admira, mais do que nunca, agora é também a cultura de todos os baianos.

200 Pontos de Cultura em 107 municípios e 26 Territórios de identidade.
Carnaval Ouro Negro: 145 blocos apoiados, mais de 14 milhões investidos.
115 Editais, mais de 1.200 projetos apoiados e mais de 87 milhões investidos.

ESSA POLÍTICA NÃO PODE PARAR.
Conheça mais sobre o que a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia vem realizando acessando:

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

RESULTADO DO PRÊMIO MAIS CULTURA DE PONTOS DE LEITURA - LITORAL SUL


O Prêmio Mais Cultura de Pontos de Leitura recebeu um total de 252 inscrições, dos quais 157 foram selecionados. Cada premiado receberá o apoio no valor de R$ 20 mil (vinte mil reais), totalizando um investimento de mais de R$ 3 milhões de reais. O prêmio é destinado a pessoas físicas e jurídicas, sem fins lucrativos, com comprovada experiência e atuação há pelo menos um ano, com propostas culturais, sociais e/ou educacionais relacionadas ao fortalecimento, estímulo e fomento da leitura no Brasil, conforme os objetivos do Programa Mais Cultura do MinC. Veja os selecionados do Litoral Sul:

Marlene Domingos dos Santos Ribeiro - Itabuna - 74 pontos
Fundação Fé e Alegria do Brasil - Ilhéus - 78 pontos
Carlos Alberto do Nascimento - Mascote - 79 pontos
Associação Comunitária Hera Nova - Canavieiras - 70 pontos
Jorge Humberto Conceição Aguiar - Ilhéus - 65 pontos
Magno Santos Araujo - Mascote - 69,5 pontos
Gilmario Rodrigues Santos - Ilhéus - 71 pontos
Associação Filtro dos Sonhos - Ilhéus - 50 pontos
Coletivo de Alfabetizadores Populares da Região Cacaueira - Ilhéus -88 pontos

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

LANÇAMENTO DO AUDIOLIVRO TRANSFERIDO PARA TERÇA-FEIRA

Em virtude dos problemas que assolaram o Rio de Janeiro nos últimos dias, a transportadora responsável pelos audiolivros "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", informou que os mesmos só poderão ser entregues na segunda-feira. Assim sendo, estamos transferindo o lançamento para a próxima terça-feira, dia 07 de dezembro, nos mesmos locais e horários. Agradecemos a compreensão de todos.
Pawlo Cidade
Escritor

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

DISQUE 100 - DENUNCIE

Rui e Ed - Foto de Larissa Conton



“Venham assistir ao espetáculo que virou história, a história que virou notícia, e a notícia que virou cadeia! Pois quem viu, fez que não viu. Não denunciou, então também abusou!”

Com esta estrofe, os palhaços UM e ZERO-ZERO encenam o espetáculo “Disque um, zero, zero”, contra o abuso sexual de crianças e adolescentes. O projeto é encabeçado pelo Núcleo da Mulher, sob a direção de Lêda Pureza e Ney, patrocinado pelo Ministério do Turismo.

Divertidos e brincalhões, o texto lúdico e dinâmico envolve os passantes e turistas que param para assistir ao espetáculo na rua. O texto é inspirado numa letra de rap de Thiago Barros e PRF Edilez Britto feito para a campanha da Federação dos Policiais Rodoviários Federais. A direção e a concepção são de Pawlo Cidade. Os palhaços são interpretados por Rui Penalva (Cia Casa Aberta de Teatro) e Ed Paixão (Grupo Teatro Total).

O palhaço Um lembra que “Criança quer jogar bola, assistir filme e brincar. O tempo dá pra sair, descansar e estudar, só não dá quando ela é obrigada a fazer o que não quer!” E o palhaço Zero-Zero conclama: “Venha você também fazer parte deste projeto, criança não é brinquedo, muito menos objeto, de braços cruzados não dá, pra vencer é preciso lutar”.

O espetáculo tem duração de 15 minutos e está sendo apresentado no centro da cidade sempre no dia de alta visitação turística, sobretudo na parada dos Transatlânticos. Contrato e apresentações: 73.9998.2555/8845.5569

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO

Emerson, o cover de Sílvio Santos

Com o lema: "Desperte o gênio que existe em você", as empresas Cambuci farão o seminário de confraternização este ano primando pela criatividade e inovação de seus funcionários. Como no ano anterior, a Comunidade Tia Marita irá apresentar o espetáculo teatral de encerramento do encontro com o tema proposto. O evento vai ocorrer no Resort Canabrava, dia 04/12. Participarão do espetáculo: Val Kakau, Ed Paixão e Romário Góes do Grupo Teatro Total; Germano Lopes da Cia Cotidianus e o cover de Sílvio Santos, Emerson, também farão parte da peça. O texto tem como pano de fundo o Jogo das Três Pistas, inspirado no Programa Sílvio Santos.

“O homem criativo não é o homem comum ao qual se acrescenta algo; o homem criativo é o homem comum do qual nada se tirou. Portanto, concluímos que nosso potencial não está perdido, mas está aguardando o momento de despertar. Ter uma equipe inovadora não é uma dádiva. Sim, existem pessoas mais e menos criativas; mais e menos desenvoltas. Entretanto, todos têm inteligência para perceber o que funciona e o que não funciona em seu trabalho e para bolar alternativas e novas maneiras de realizar suas funções", afirma a Gerência de Qualidade da empresa.

Como no ano passado propomos um esquete dinâmico e divertido, escrito com a colaboração das equipes de melhoria contínua e a gerência da empresa, pensando no lúdico como o meio para passar o lema deste ano, afirma o diretor Pawlo Cidade.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A COXIA E O TRAMPOLIM

A CATARSE É EM QUESTÃO DE SEGUNDOS

Os bastidores são, numa linguagem figurativa, o pré-texto da peça. Tudo aquilo que o espectador não consegue ver, mas que está lá. Sou da corrente que defende a ideia de que a personagem precisa também estar nos bastidores, também conhecido como coxia. A coxia é o lugar situado dentro da caixa teatral - mas fora de cena - no palco italiano, em que o elenco aguarda sua deixa para entrar em cena em uma peça teatral. Por analogia, é qualquer espaço situado fora de cena, em que os atores aguardam sua entrada.

Também nos bastidores estão o contrarregra, o sonoplasta (em alguns casos), o diretor, o cenotécnico e, claro, os atores e as atrizes. Quando digo que a personagem precisa estar na coxia, estou afirmando que o ator precisa estar concentrado, usando o pré-texto que está nos bastidores, pois, quando ele entrar em cena não precisará daqueles segundos que o separam o artificial do natural. São esses segundos que denunciam o ator, apresentando-o como um profissional essencialmente mecânico ou, espetacularmente, orgânico. Por isso ele deve estar só, mesmo acompanhado com os demais membros da equipe. A criação, a transformação, a concentração é um momento solitário. O artista precisa da solidão para criar. A solidão é sua eterna companheira, a amiga indispensável em sua catarse, em sua entrega, em sua personificação.

Para Daniel Freitas, ator e diretor de teatro, o ator precisa aprender “dominar seu corpo e sua técnica de atuação seja ela qual for. Isso significa: saber o que ocorre com seu corpo, a teoria que envolve ele e saber se expressar verbalmente sobre seu estudo teatral pessoal”. E isso ele descobre no processo de criação da personagem, nos momentos em que medita e constrói o pré-texto, também chamado de texto subjetivo ou ainda por Stanislavski de subtexto. Ele explica: “somos propensos a esquecer que a peça escrita não é uma obra de arte acabada, enquanto não for levada à cena pelos atores e tomar vida através de emoções humanas puras e autênticas; o mesmo se pode dizer de uma partitura musical, que não será uma sinfonia enquanto não for executada por uma orquestra em um concerto. No momento em que as pessoas, músicos ou atores, colocam sua própria vida no subtexto de qualquer material escrito a ser apresentado diante de um público, liberam-se as fontes espirituais e a essência interior...”

Daniel Freitas ainda comenta que através da busca de um ator orgânico é possível construir um trabalho forte e seguro quanto a atuação de qualquer estilo de teatro”. E ele está certo. Depois de todo o trabalho, de todo o estudo e exploração das possibilidades e limitações de cada um, o ator está preparado para atuar organicamente. A coxia funciona como porta de entrada. Como trampolim. Aqueles pulinhos antes de “saltar para a água”, é o pré-texto em ebulição. E quando o ator entra em cena, todo o seu corpo interpreta. Por isso se diz que determinado ator foi visceral. (Publicado na coluna semanal "Coxia", do jornal Diário de Ilhéus)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

CONFIRMADO! O lançamento do Audiolivro "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", será no dia 03 de dezembro de 2010


Devido a um atraso da produção, o audiolivro "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", adaptação do livro homônimo de Pawlo Cidade, previsto para novembro, será lançado no dia 03 de dezembro, sexta-feira, em três locais distintos que irão alcançar públicos distintos:


Biblioteca Pública Adonias Filho, às 10:00 horas

Livraria Papirus, às 16:00 horas

Academia de Letras de Ilhéus, às 18:30 horas


Os primeiros 30 convidados de cada um dos locais de lançamento receberão o audiolivro inteiramente grátis. Mas, você também pode ganhar o livro respondendo a pergunta: "Qual o nome dos três principais personagens da história?"


Envie um e-mail para comunidadetiamarita@hotmail.com e ganhe um audiolivro. A resposta deverá estar no corpo do e-mail e o assunto do mesmo deve ser: Promoção Tesouro Perdido. As trinta primeiras respostas corretas receberão de imediato o audiolivro.


O resultado será divulgado no dia 02/12/2010, neste blog.


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

JUCA FERREIRA E A CULTURA BRASILEIRA

Juca Ferreira, Ministro da Cultura

O que vimos ao longo do tempo na história da República do Brasil foi a cultura sempre relegada a um segundo plano, com raras exceções, a exemplo da gestão de Gustavo Capanema que criou uma política definida voltada para ações culturais, guardadas as ressalvas conjunturais.

Fora desse período não houve uma ação competente que definisse as políticas públicas para cultura brasileira.

No Governo Lula, com nomeação do Ministro Gilberto Gil, sentimos a vontade política inequívoca de realizar um trabalho com amplitude e sensibilidade para isso. Gilberto Gil contou com a excelente atuação de Juca Ferreira na Secretaria Executiva dinamizando a máquina emperrada do Ministério da Cultura.

Passado o bastão, Juca Ferreira assume a pasta e com sua capacidade de gestão revolucionou o MinC, estabelecendo uma política cultural que contemplou todos os segmentos, mobilizou o país inteiro discutindo e aprofundando todas as questões inerentes ao meio artístico cultural, democratizando com clareza e transparência, facilitando a acessibilidade à sociedade civil organizada e facilitando a organização de muitos setores não contemplados em gestões anteriores. Conseguiu em sua gestão interagir com equanimidade em todas as regiões do país.

Com tudo isso, o MinC alcançou uma visibilidade de magnitude sem precedentes, com inúmeras ações e desafios estruturais e pontuais, inclusive com enfrentamentos diante das elites oligárquicas da cultura brasileira.

A importância de manter Juca Ferreira com titular no Ministério da Cultura é semelhante aquela empreendida para a eleição de Dilma Russef na presidência da república para implementar e consolidar as ações e projetos desenvolvidos que se configuram como um marco na história do Brasil.

Assine a petição pública clicando no endereço abaixo. Você receberá, após a votação, um e-mail para confirmar sua assinatura. Vamos manter Juca no Ministério da Cultura em 2011 e consolidar nossos projetos!



http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=MinC2011

sábado, 20 de novembro de 2010

Governo destinará R$ 10,7 milhões para apoiar projetos artísticos e socioculturais


Mais uma vez, o governo joga a responsabilidade dos problemas sociais para a cultura resolver. Por um lado é bom, pelo menos, é mais recursos para desenvolvermos nossos projetos. Por outro, a gente sabe que apenas uma parcela da população será beneficiada. Mesmo porque os recursos não são suficientes. Mas, pelo sim, pelo não, mais vale um pássaro na mão...


Uma parceria entre os ministérios da Cultura (MinC) e da Justiça (MJ) destinará R$ 10,7 milhões para apoiar 700 projetos artísticos e socioculturais voltados para pessoas entre 15 e 29 anos. O edital que regulamenta os Microprojetos Mais Cultura para os Tempos de Paz foi publicado no Diário Oficial da União de nesta terça-feira (16) e pretende contemplar 44 localidades de 11 estados e do Distrito Federal, atendidas pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).
A verba será destinada ao financiamento de projetos de hip hop, grafite, rap, teatro, literatura, artesanato e dança. Produções de vídeos e documentários, bem como gravação de CDs de jovens artistas de comunidades de baixa renda e de elevados índices de violência também poderão receber o apoio financeiro. Cada proposta contemplada poderá receber de um a 30 salários mínimos (máximo de R$ 15,3 mil), respeitando a particularidade de cada ação social.
De acordo com o secretário executivo do Pronasci, Ronaldo Teixeira, a parceria do MinC com o MJ é importante para recuperar os jovens de comunidades carentes. “O Pronasci inova nesse conceito, pois o caminho para a redenção dessas áreas passa necessariamente, de um lado, pela presença da polícia e, de outro, pela presença do Estado, aportando recursos para que jovens possam acessar bens culturais e potencializar sua cidadania”, afirmou.
O estado do Rio de Janeiro concentra boa parte dos projetos premiados pelo edital, com 300, espalhados em 24 localidades atendidas pelo Pronasci. As outras unidades de Federação que têm Territórios de Paz a serem beneficiados pelo edital são: Rio Grande do Sul, Bahia, Acre, Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Pará, Paraná, Pernambuco, São Paulo e Distrito Federal. O Ministério da Justiça estima que a população contemplada pelo projeto é de 2,5 milhões de habitantes.
As inscrições para o edital Microprojetos estão abertas até o dia 30 de dezembro. O cadastro pode ser feitos nos sites do Ministério da Cultura (www.cultura.gov.br), do Programa Mais Cultura (http://mais.cultura.gov.br) e do Pronasci (www.mj.gov.br/pronasci). Por Agência Brasil.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A ORDEM DOS FATORES NÃO ALTERA O PRODUTO


Quando nós pensamos num projeto, vários aspectos precisam ser considerados. E o primeiro deles tem a ver com o pré-projeto ou o diagnóstico. Em suma, a delimitação do problema. Eu sempre toco nesta vertente porque muita gente esquece que um problema é igual a um produto. E que um produto é igual a um determinado tempo e esse tempo é o projeto desenvolvido.

É fato que os cursos, oficinas e workshops que são aplicados apresentam-nos um escopo pelo qual você deve seguir para que seu projeto alcance resultados e sucesso. Assim, partem do princípio de que é preciso saber logo de cara o que você pretende resolver. Porque, sem dúvida, o problema encontrado é uma excelente oportunidade para se criar meios que possam solucioná-lo. Em seguida, apontam-se os objetivos, a justificativa, as metas a serem atingidas, a metodologia, o cronograma de atividades, o orçamento físico-financeiro e a aplicação do cronograma de desembolso.

Para o projeto ficar ainda mais completo, acrescenta-se alguns anexos como currículos do proponente e toda a equipe principal, estudo da área ou do problema a ser resolvido com fotos, clippings, vídeos, portifólios, cartas de anuência, autorizações dos espaços a serem utilizados etc.

Todavia, depois de encontrado o problema, se você já tem uma ideia clara do que deseja, pode começar o projeto pelo orçamento. Pode começar ainda pela forma ou metodologia, pelos recursos que precisa, pelo portifólio, enfim, por qualquer área desde que você mantenha ao final, o escopo pronto. A ordem dos fatores não alterará o produto final. Entretanto, somente a descrição ou apresentação do projeto deverá ser a última coisa a ser feita. Porque você precisará de todas as informações possíveis para apresentar sua proposta.

Se precisar de alguma consultoria, é só escrever: pawlocidade@msn.com

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

ECOTEATRO lançado hoje na UNEB

Plateia de estudantes e professores participativa no palestra
Professora Tereza no momento dos autógrafos

Palestra antes do lançamento


Na V Semana de Letras de Ipiaú, Campus XXI da UNEB, foi lançado o mais novo livro do escritor Pawlo Cidade. O evento ocorreu na noite de hoje, 17/11, às 18:30 horas. O convite partiu do Colegiado de Letras e do Departamento de Ciências Humanas e Tecnológicas, através da professora e atriz Tereza Damásio. Bastante concorrido, o autor ainda aproveitou e apresentou outros títulos de sua autoria, a exemplo de "O Caminho de Volta", "A Batalha dos Nadadores", "Mistério na Lama Negra" e "As Aventuras de João e Maria". Antes da sessão de autógrafos Pawlo falou sobre o conceito e os objetivos do Ecoteatro, pontuando a função do educador em todo o processo de educação ambiental.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

JÁ ESTÁ À VENDA!!!

Capa de Thauan Oliveira e Marcel Santos

Ecologia e Teatro objetivam aqui uma permuta e uma cumplicidade. Ele – o Teatro – empresta a ela – a Ecologia – o caminho conducente à revelação de seus princípios. Por ele e por meio dele, é possível expressar os principais problemas ecológicos e suas implicações socioculturais nas comunidades. Ela e ele se interagem a partir do momento em que cada uma de suas partes é vista como um todo. Cada um dos elementos do Teatro, cada um dos elementos da Ecologia é tão importante quanto o próprio todo.
Ecoteatro está longe de ser um método. Muito menos uma teoria. É, acima de tudo, sensibilização. Ecoteatro é o caminho da Ecologia através do Teatro. Aprender brincando torna o ator mais suscetível, mas disposto a “jogar”, a se inteirar, a penetrar e a cooperar. A escolha dos jogos teatrais como forma de conscientizar para a problemática ambiental, não é casual. Por se tratar de uma linguagem humana por excelência o Teatro é uma porta de entrada com múltiplas saídas.

O LIVRO É IDEAL PARA PROFESSORES, MULTIPLICADORES, EDUCADORES AMBIENTAIS E TODO AQUELE INTERESSANDO NA QUESTÃO ECOLÓGICA QUE DESEJA EDUCAR ATRAVÉS DO LÚDICO.


Características do livro: 100 páginas, tamanho 14cm x 21cm, ISBN 978-85-98493-90-9

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Seminário "Literatura em Movimento", em Uberlândia, tem a participação do nosso Diretor Artístico Pawlo Cidade

Pawlo e os alunos que interpretaram o Tesouro Perdido
Marcos, Welligton, Pawlo e Daniela em reunião na OPA!

O professor Marcos Barbosa foi o idealizador do Projeto Literatura em Movimento em parceria com a Escola 13 de Maio de Uberlândia e apoio de vários segmentos socioambientais como a OPA - Organização para a Proteção Ambiental. O seminário teve como mote a importância da arte e da literatura para a formação de cidadãos sociambientalmente melhores.

O seminário teve início hoje, dia 11/11, com a apresentação do projeto seguido pelo grupo Mãos e Tons. Depois, os alunos da Escola 13 de Maio apresentaram uma peça com fragmentos do livro "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", de Pawlo Cidade.

Amanhã, haverá mais apresentações culturais e o lançamento do livro Ecoteatro, seguido de uma sessão de autógrafos de Pawlo. Para Marcos, o Projeto Literatura em Movimento é apenas uma semente que terá ramificações maiores, sobretudo com o apoio da OPA!

Espetáculo ilheense “Cangaço” que narra a trajetória dos últimos dias de Lampião e seu bando realiza turnê por três territórios de identidade

Cena do espetáculo no Mercado Municipal em Aporá
Público de Valente, na Casa Brasil

A peça realizou uma turnê entre os dias 3 e 7 de novembro, por cinco cidades de três Territórios de Identidade baianos: Aporá (Agreste de Alagoinhas/Litoral Norte), Monte Santo, Queimadas e Valente (Sisal) e Jacobina (Piemonte de Diamantina).

O espetáculo narra os últimos dias de Lampião e seu bando pelo sertão nordestino, até a histórica manhã de 28 de julho de 1938, quando morreu o cangaceiro brasileiro. Escrito e dirigido por Pawlo Cidade, Cangaço representa o capítulo final de Lampião, Rei do Sertão, projeto nascido em 1994. Ao idealizar o projeto, Pawlo tinha duas metas: a primeira, montar a última parte da história de Virgulino Ferreira da Silva; a segunda, circular com o espetáculo por algumas das cidades que foram impactadas com a trajetória de Lampião.


“Os editais de montagem e de circulação de espetáculos teatrais são mecanismos complementares. Ao lançá-los, a Fundação Cultural se propõe a possibilitar que as produções sejam concretizadas e que também possam alcançar públicos diversos, num movimento de fortalecimento das artes cênicas da Bahia, em todo seu território. O espetáculo Cangaço retrata a capacidade produtiva dos grupos do interior do estado e a necessidade de investir para que eles estejam em permanente desenvolvimento”, afirma Gisele Nussbaumer, diretora da FUNCEB.

“A descentralização dos recursos do Estado, voltando sua atenção para as companhias, grupos e artistas independentes do interior, bem como a política de editais proposta têm contribuído enormemente para o fortalecimento da arte e da cultura em toda a Bahia. Prova disso é Cangaço”, comemora Pawlo Cidade, que é ator, produtor, autor e diretor de teatro, com 29 espetáculos montados, que vai repetir com seu grupo parte da viagem que Lampião fez com seu bando. “Nossa circulação pelo agreste baiano inicia-se em Aporá, cidade distante do nosso município de origem, Ilhéus, mais de 500 quilômetros”, destaca ele.

A turnê Na Trilha de Lampião circulou por municípios que contam a história de Lampião. A ação teve início no município de Aporá, em 3 de novembro, no Mercado Municipal – historicamente, consta que Lampião não entrou na cidade, mas esteve próximo, em Castro Alves, e provocou enorme alvoroço entre a população. Depois, no dia 4, passaram por Monte Santo, no Instituto de Educação, “a cidade que abastecia Lampião”; em seguida, no dia 5, por Queimadas, no Salão Paroquial, “a terra do massacre policial”; chegou então, no dia 6, a Valente, na Casa Brasil, “a cidade que passou a noite acordada esperando Lampião”; por fim, no dia 7, encerraram a jornada em Jacobina, na Associação Comercial e Industrial.

“O Teatro é, na sua essência, mambembe. Viajar com um espetáculo é experimentá-lo sob o olhar de públicos variados, é amadurecer a obra a partir desta experiência única de circular, neste caso, por um estado tão diverso quanto o nosso. Mecanismos que favorecem a itinerância são tão importantes quanto aqueles que promovem as produções – são parte de uma mesma engrenagem para o bom funcionamento do Teatro na Bahia”, define Gordo Neto, diretor de Teatro da FUNCEB.

Com os atores Val Kakau no papel principal e Andréa Bandeira vivendo Maria Bonita, o elenco de Cangaço traz ainda Ed Paixão, Ciro Nonato, Bruno Martinelli, Roma Góes e Kaique Cavalcante. Além das apresentações, aconteceram oficinas de formação sobre o processo de montagem e de criação dos personagens da peça, direcionadas a atores, grupos de teatro, artistas e jovens interessados.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

ECOTEATRO, novo livro de Pawlo Cidade, será lançado em novembro


Será lançado em Uberlândia, Minas Gerais, o mais novo livro do nosso Diretor Artístico, Pawlo Cidade. Intitulado: ECOTEATRO, o livro aborda conceitos e discurso ecológico através do Teatro. Neste livro, recheado de jogos e exercícios, num total de 20 vivências, com cinco atividades cada uma, “Ecologia e Teatro objetivam aqui uma permuta e uma cumplicidade. Ele – o Teatro – empresta a ela – a Ecologia – o caminho conducente à revelação de seus princípios”, afirma o autor.

O livro - lançado pela Editora Via Litterarum, faz parte de um Seminário dirigido pelo professor Marcos Barbosa, de Uberlândia, sobre a influência do Meio Ambiente na vida do ser humano, que será realizado entre os dias 11 e 12 de novembro. Na oportunidade, Pawlo Cidade estará lançado o livro e palestrando sobre o tema.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

INCLUSÃO CULTURAL NO TEATRO MUNICIPAL

Com o slogan “Todo mundo é especial”, a Fundação Cultural de Ilhéus promove o Dia da Inclusão Cultural. O evento, voltado para pessoas portadoras de necessidades especiais, em parceria com o CAPS (Centro de Apoio Psicossocial), NAE (Núcleo de Atenção Especializada) e APAE (Associaçãos de Pais e Amigos dos Excepcionais) acontecerá gratuitamente no Teatro Municipal de Ilhéus em dois períodos: manhã, a partir das 8:00 horas,voltado para o público infantil, e tarde, às 14:00 horas, para adolescentes e adultos.
O objetivo do evento é garantir igualdade no acesso à arte e a cultura, promovendo a cultura para todos sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade, e quaisquer outras formas de discriminação.
Estão garantidas as participações do Grupo Palha Assada, Pawlo Cidade - interpretando o Professor Clown, o ator José Delmo - como o Contador de histórias; o violeiro Carlos Silva, as dançarinas Safira, Rafaela Canabrava, Bianca Lavigne e Fabíola Paes Leme, além do dançarino Daniel Nogueira, a cantora Amanda Andrade, a Cia Casa Aberta de Teatro, a atriz Janete Lainha, o grupo afro Batuque Gêge e Nozinho, cover de Tim Maia.

domingo, 26 de setembro de 2010

A CARAVANA CULTURAL DE ILHÉUS

Janete Lainha, Ballet Grand Getê, Batuke Gêge, Amanda Andrade e Grupo de Capoeira

A Caravana é uma realidade. Não ouvi falar de nenhum outro projeto como este que tenha contemplado quase 99% de todas as localidades do município de Ilhéus. Até o final de novembro chegaremos a 42 locais, abrindo um novo caminho para a cultura da cidade. Cerca de mais de 150 apresentações de artistas convidados e quase trezentas dos grupos locais dos bairros, distritos e povoados subirão ao palco-ônibus para mostrar seu talento.
A trupe que a comanda poderia até ser comparada aos saltimbancos e histriões de outrora da Europa que cruzavam o continente realizando espetáculos populares em tablados. Esses atores mambembes – clowns, acrobatas, malabaristas, mas às vezes também cantores e poetas – se produziam sempre à margem dos teatros oficiais. Apesar daquela época estes artistas se apresentarem nos lugares mais freqüentados, a Caravana tem ido a lugares nunca antes visitado por artistas profissionais, a exemplo de Retiro e o Mambape. Parafraseando um velho ditado, diríamos que se “o povo não vem até a arte, a arte vai onde o povo está”.
“Algumas crianças estão vendo, pela primeira vez, a cultura chegar aos bairros mais distantes e escrever uma nova história”, afirma o presidente da Fundação Cultural de Ilhéus. A Caravana Cultural se consolida como um dos mais importantes projetos da região. A Fundação tem registrado palestras sobre o Patrimônio Cultural e Histórico de Ilhéus, proferidas em diversas escolas, atingindo milhares de estudantes e comunidades. As apresentações culturais atingiram um grande público de mais de vinte mil espectadores apenas no primeiro semestre do ano. O Bumba-meu-boi de Urucutuca, Dona Valderez, do Salobrinho, e o grupo de dança Face Off, do Teotônio Vilela, foram alguns dos artistas locais que se fizeram presentes na Caravana. Também se apresentaram diversos artistas profissionais,como o ator José Delmo e a Cia Casa Aberta de Teatro; músicos como os cantadores Carlos Silva, Paulo Mourão, Cleilton Mariano, Nozinho, Amanda Andrade e uma dupla de artistas europeus que vieram de Portugal para fazer arte e cultura nos distritos de Ilhéus,além dos artistas circenses do Grupo Explosão do Riso, de Barreiras.
A Fundação Cultural de Ilhéus, através do Projeto Caravana Cultural, também está fazendo o recenseamento dos artistas, artesãos e manifestações culturais de cada localidade com o intuito de identificá-los e cadastrá-los no Censo Cultural 2010 que pretende mapear todas as manifestações artísticas do município. Em breve teremos um verdadeiro “mapa das minas culturais” de Ilhéus, identificando e localizando com precisão todos os artistas da nossa terra. Estes dados serão de vital importância para a construção final do Plano Municipal de Cultura que será apresentado em dezembro para a classe artística.

O BLOG da Caravana Cultural estará no ar a partir do dia 28 de setembro de 2010. É só acessar: www.caravanaculturalilheus.blogspot.com

sábado, 18 de setembro de 2010

O TEATRO DE RUA

Delmo foi um dos precurssores do Teatro de Rua na Região Grapiúna
O Teatro de Rua é aquele que se produz em locais externos às construções tradicionais: rua, praça, mercado, metrô, universidade etc. A vontade de deixar o cinturão teatral corresponde a um desejo de ir ao encontro de um público que geralmente não vai ao espetáculo, de ter uma ação sociopolítica direta, de aliar animação cultural e manifestação social, de se inserir na cidade entre provocação e convívio.
Nos anos oitenta, sobretudo os artistas de teatro de Itabuna e Ilhéus, não desfrutavam de espaços adequados para as apresentações teatrais. Foi nessa época que o ator e dançarino Mário Gusmão chegou a Itabuna. Marcos Christianno escreveu um ensaio sobre o Teatro de Rua em 1993 onde relata a chegada de Mário e o trabalho que foi desenvolvido na época: “Os atores que até então realizavam trabalhos isolados, com a chegada de Gusmão, foram aglutinados em torno de uma proposta popular. Da constância dos elencos formados para as diversas montagens realizadas pelo mestre (Mário gostava de trabalhar com elencos enormes), estavam sempre juntos: Jackson Costa, Carlos Betão, Alba Cristina, Marcelo Augusto, Mark Wilson e eu, que sentimos a necessidade de formar um grupo menor (Em Cena), onde pudéssemos experimenta e exercitar a linguagem popular”.
Durante muito tempo, o teatro de rua se confundiu com o agit-prop (teatro de participação) e o teatro político (anos vinte e trinta na Alemanha e na União Soviética). A partir dos anos setenta, assumiu uma postura menos política e mais estética.
Para Marcos Cristianno o teatro de rua é “o teatro do despojamento, da identificação e compreensão imediatas, muitas vezes, pejorativamente, taxado de panfletário, do que poderia ser também denominado, uma vez que, literalmente, esse vocábulo nos diz: “denúncia feita de forma satírica e com veemência”.
Ainda, no final da década de oitenta, em Ilhéus, nascia o incomparável “Caras e Máscaras”, protagonizado por Jorge Batista, Telma e Tereza Sá, Rita Santana e suas irmãs Esther e Mônica e outros artistas que não me recordo neste instante. O “Caras e Máscaras”, com seus rostos personificados, sua criação coletiva, suas bocas sempre prontas para o embate, por trás de suas manifestações espontâneas, se transformou no principal grupo de teatro de rua da cidade.
O fato é que o teatro de rua nasceu a partir de diversas “escolas” como Mário Gusmão, Jurema Penna, José Delmo, Arly Arnaud, Amir Haddad e outros. Trata-se, na verdade, de uma volta às fontes: Téspis (primeiro ator de quem se tem notícia) passava por representar num carro no meio do mercado de Atenas, no século VI a.C., e os mistérios medievais ocupavam o adro das igrejas e as praças das cidades. Paradoxalmente, o teatro de rua tende a se institucionalizar, a se organizar em festivais, a se instalar num percurso urbano, numa “land art”, ou numa política de renovação urbana, tentando permanecer fiel à sua arte de desviar o cotidiano.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

MORRE O MÚSICO ILHEENSE SAUL BARBOSA


Na madrugada desta quarta-feira, 15, morreu o músico ilheense Saul Barbosa. O artista de 57 anos, que estava internado por complicações decorrentes de uma insuficiência renal, teve uma parada cardiorrespiratória e veio a óbito. Saul estava internado no Hospital Espanhol desde o mês de junho.
De acordo com informações fornecidas pela família, ele será cremado na quinta-feira, 16, às 10h, no Jardim da Saudade, no bairro de Brotas, em Salvador.
Margareth Menezes e Saul Barbosa eram grandes amigos. Saul se dedicava a música há mais de 30 anos. Em parceria com o cantor Gerônimo, são mais de 200 composições. Entres os grandes sucessos do artista baiano, está a música ‘Acaba quando Começa’ – gravado por Elba Ramalho e ‘Toté de Maiangá’, sucesso na voz de Margareth Menezes. (www.portalibahia.com.br)
“O violonista e compositor Saul Barbosa é um dos grandes nomes da música baiana. Suas parcerias com outros de nossos artistas serão eteramente lembradas. Nosso ultimo contato foi no final do ano passado quando o artista participou da III Conferência Estadual de Cultura, em Ilhéus, sua cidade natal, onde realizou um belíssimo concerto. A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia lamenta a morte do músico e compartilha o mesmo sentimento de dor dos amigos, parceiros, familiares e artistas de todo o estado", afirmou o Secretário de Cultura do Estado, Márcio Meirelles.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Novas linhas de financiamento impulsionam setor cultural na Bahia


O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura (Secult) e da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), lançou as linhas de financiamento CrediFácil Cultura Fixo e CrediFácil Cultura Giro voltadas para fomentar o setor e fortalecer as atividades culturais na Bahia, uma iniciativa, em nível estadual, inédita no Brasil.

O foco são as empresas baianas que atuam no segmento audiovisual, artes cênicas, música, artesanato, museus, entre outros. Agora, os empresários baianos contam com juros reduzidos, de até 6% ao ano, para financiamento de até R$ 1 milhão e com prazo de 96 meses.

Os recursos serão investidos na reforma ou modernização de empreendimentos culturais, compra de equipamentos novos e instrumentos musicais ou aquisição de mercadorias e matérias-primas para reposição de estoque. A novidade é o conceito ampliado de setor cultural, em consonância com os parâmetros recém definidos pela Unesco. Esse é o resultado de uma estratégia desenvolvida pela Secult, em parceria com a Desenbahia, de abordagem do setor cultural enquanto rede produtiva, o que inclui, além das atividades culturais propriamente ditas, o setor criativo como os serviços de arquitetura, publicidade e design, explicou o secretário da Cultura, Márcio Meirelles.

Segundo o presidente da Desenbahia, Luiz Alberto Petitinga, o CrediFácil Cultura Fixo abrange os investimentos em construção civil, instalações e montagens, aquisição de máquinas e equipamentos (inclusive de informática), de instrumentos musicais, veículos utilitários, móveis e utensílios. Já o CrediFácil Cultura Giro foca as operações das empresas como a compra de mercadorias, matérias-primas e despesas administrativas. Encargos financeiros, limite de financiamento e prazos variam de acordo com cada projeto e porte da empresa. Os detalhes estão no site da Desenbahia e Secretaria de Cultura. Mais informações pelo 0800 285 1626.

domingo, 12 de setembro de 2010

AUDIOLIVRO DE "O TESOURO PERDIDO DAS TERRAS DO SEM FIM" SERÁ LANÇADO EM NOVEMBRO


Rafael, Bruno e Fabíola Hala no estúdio de gravação

Com patrocínio do Fundo de Cultura do Estado da Bahia e Governo do Estado, o livro juvenil "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", de Pawlo Cidade, está sendo transformado em audiolivro (também conhecido como audiobook).
Os personagens principais estão ganhando vida através das vozes da atriz Fabíola Hala (Grupo Maktub Performances) e dos atores do Grupo Teatro Total: Rafael Silva e Bruno Martinelli. A narração é feita por Jeremias (Fm Gabriela) e a produção musical por Hélio Ricardo. A arte final está sendo trabalhada por Marcel (Via Litterarum). Até o final de novembro - de acordo com a produtora Viviane Siqueira - o audiolivro estará sendo lançado na Academia de Letras, Biblioteca Pública e Livraria Papirus. O projeto, batizado de "Ouvindo um Tesouro", tem ainda o objetivo de promover um bate-papo com o autor em dez escolas públicas das redes municipal e estadual de ensino do município de Ilhéus e a distribuição gratuita de audiolivros para estas escolas que deverão ser trabalhados pelas professores de língua portuguesa e história.
Para o autor, Pawlo Cidade, "além de ser trabalhado em sala de aula, o audiolivro poderá ser ouvido a qualquer hora e em qualquer lugar. É uma ferramenta facilmente usada para estimular a alfabetização e valorizar a obra escrita".
Atualmente o livro faz parte da lista de três escolas particulares de ensino do município e é trabalhado por algumas escolas públicas municipais. O romance conta de maneira inovadora, a história do município de Ilhéus através de três adolescentes que se aventuram em busca de um tesouro perdido. "Através do audiolivro, a trama ficará ainda mais excitante, despertando ainda mais o interesse pela história local", afirma o Agente Literário Gustavo Felicíssimo.

sábado, 4 de setembro de 2010

CANGAÇO EM TURNÉE PELO SERTÃO


A FUNCEB/SECULT já solicitou as diligências necessárias para a assinatura do TAC. Cumpriremos um novo cronograma de apresentações. Já enviamos às cidades participantes do projeto uma solicitação de pauta que deverá ser respondido até o dia 09/09/2010 (quinta-feira).
Neste novo cronograma, apenas invertemos o roteiro. Ao invés de começar por Valente, desta vez iremos começar por Aporá. Haverá mudança em dois locais de apresentação, pois os mesmos não estão com as datas que a produção solicitou. Mas isso não irá impedir de apresentarmos nas cidades contempladas. Acompanhe:

Dia 03/11 - Aporá
Dia 04/11 - Monte Santo
Dia 05/11 - Queimadas
Dia 06/11 - Valente
Dia 07/11 - Jacobina

Entonces, cangaceiros. Aprontem suas malas. Nossa viagem começa no feriado do dia 02/11 e retornaremos a Ilhéus no dia 08/11, bem cedinho. Agora é pra valer!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

LANÇAMENTO!!!


O professor e jornalista-fundador do grupo Direitos (jornal, revista, site e editora de livros Direitos) Vercil Rodrigues, acaba de lançar pela Direitos Editora o seu mais novo livro Análises Cotidianas.
Esta sua segunda obra tem o prefácio do escritor, sociólogo e professor-doutor da UESC Selem Rachid Asmar e apresentações do escritor e jornalista Daniel Thame e do advogado e professor-mestre do curso de Direito da FTC, Paulo Sérgio dos Santos Bomfim.
“Em uma linguagem envolvente, o articulista desconstrói conceitos arraigados em paradigmas pretéritos, antes pétreos, que se desmancham prazerosamente ante seus argumentos impassíveis, que se quedam para o improvável, mas retornam à concretude para a sua realização. Eis, o que nos reserva essa doce leitura apresentada pelo Professor Vercil Rodrigues, perscrutador do cotidiano das almas”, declara o professor Paulo Bomfim.
“Com seu texto leve e, ao mesmo tempo denso, Vercil Rodrigues brinda-nos com um daqueles livros para se saborear artigo a artigo e guardar, fonte de consulta que também é para estudantes e profissionais de diversas áreas”, enfatiza o jornalista Daniel Thame.
“Nesse novo livro, Análises Cotidianas, Vercil Rodrigues passeia por mais de três dezenas de artigos de áreas do conhecimento de sua formação acadêmica (História e Direito), pelas ciências afins (Sociologia e Política) e por lembranças de suas vivências (Religião e Professor)”, escreveu o sociólogo-professor-doutor Selem Rachid Asmar.
O livro Análises Cotidianas tem lançamento previsto para a Academia de Letras de Ilhéus (ALI) no mês de setembro.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

PAWLO CIDADE OCUPARÁ A CADEIRA DE ZÉLIA GATTAI

Foto de Mary Melgaço

Hoje, dia 26 de agosto, às 19:30 horas, na Academia de Letras de Ilhéus, Pawlo Cidade tomará posse da cadeira número 13, cujo patrono é Castro Alves e que fora ocupada anteriormente por Jorge Amado e Zélia Gattai, respectivamente. Será a celebração de mais de duas décadas de trabalho dedicados a arte, a cultura e a literatura regional.


Pawlo Cidade iniciou sua trajetória artística em 1988. Desde então traz no currículo, 07 livros publicados, 29 espetáculos montados, diversos prêmios e homenagens. "Tudo isso devo à minha cidade, aos meus amigos, a minha família e sobretudo, a Deus", declara.


Atualmente, PC é Supervisor da Divisão de Cultura da Fundação Cultural de Ilhéus e vice-presidente do Fórum de Agentes, Gestores e Empreendedores Culturais - FAEG-SUL. Prepara o lançamento de "O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim", em audiobook, que será lançado em outubro na Academia de Letras, na Biblioteca Pública Adonias Filho e na Livraria Papirus.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

PRORROGADA INSCRIÇÃO PARA PONTOS DE LEITURA


O Prêmio Mais Cultura de Pontos de Leitura é destinado a pessoas físicas e/ou jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, com comprovada experiência e atuação, há pelo menos um ano, com propostas culturais, sociais e/ou educacionais relacionadas ao fortalecimento, estímulo e fomento da leitura no Brasil, conforme os objetivos do Programa Mais Cultura do Ministério da Cultura. O Edital selecionará 260 iniciativas culturais em todo o estado prevendo cotas para cada Território de Identidade em um percentual correspondente ao nº de município dos territórios e nº de habitantes. Cada premiado receberá o apoio no valor de R$ 20 mil, totalizando um investimento de R$ 5,2 milhões. Inscrições até 8 de setembro. Vamos fazer os projetos!!! Confira no site: http://www.cultura.ba.gov.br/

sábado, 14 de agosto de 2010

SAI O REGULAMENTO DO FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA DE ILHÉUS


Foi publicado na tarde da última sexta-feira, 13 de agosto, o Decreto nº 090/2010 que institui a Regulamentação do Fundo Municipal de Cultura de Ilhéus. O FMC tem como objetivos: apoiar as manifestações culturais do Município, com base no pluralismo e na diversidade de expressão; possibilitar o livre acesso da população aos bens, espaços, atividades e serviços culturais; apoiar ações de manutenção, conservação, preservação, ampliação e recuperação do patrimônio cultural material e imaterial do Município; incentivar estudos, pesquisas e a divulgação do conhecimento sobre cultura e linguagens artísticas e, sobretudo, valorizar os modos de fazer, criar e viver dos diferentes grupos formadores da sociedade.

Para Pawlo Cidade, assessor de Cultura da Fundação Cultural de Ilhéus, o Fundo traz inúmeras vantagens para os artistas locais. "A regulamentação do Fundo determina os mecanismos de verbas adotados pelo município. É possível, por exemplo, captar recursos de fundo a fundo. Se quisermos lançar um edital e precisarmos de mais recursos é só solicitar ao Fundo Estadual ou até mesmo ao Fundo Nacional".

Vale salientar que a criação do Fundo Municipal de Cultura não isenta a prefeitura de continuar investindo em cultura. Pelo contrário, o "Fundo é mais um mecanismo de fomento a arte e a cultura e não a única alternativa de investimento na cultura", alerta o assessor da Fundação Cultural. E acrescenta: "Precisamos criar critérios de acesso bem claros e estimular a demanda espontânea".

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

COMEÇAM AS INSCRIÇÕES PARA REQUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES DE TEATRO


Estarão abertas a partir do dia 05 de agosto, das 12:00 às 14:00 horas, na sede da Fundação Cultural de Ilhéus, as inscrições para o Projeto RETRATE INTERIOR.

O Projeto Retrate Interior é financiado pelo FUNDO DE CULTURA do Estado da Bahia, dentro do Programa de Fomento à Cultura, com apoio da sua Prefeitura Municipal. Por isso as oficinas serão gratuitas para os participantes, contemplando aulas e material didático, exigindo, por conseguinte, o total comprometimento dos selecionados com a assiduidade e desempenho dentro do Projeto, pois uma vez a vaga ocupada, automaticamente, esta estará inviabilizada para outro(a) interessado(a).


PÚBLICO


O projeto de REqualificação dos TRAbalhadores de TEatro do Interior – Retrate Interior é um programa de formação integrante das ações do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado da Bahia (SATED – Bahia) e realização da Mil Produções Artísticas, que é voltado para atores e diretores de teatro do interior do Estado, inicialmente levado aos municípios de Juazeiro, Cipó, Valença, Ilhéus, Itaberaba, Guanambi e Barreiras. Agora é a sua vez.


QUEM PODE PARTICIPAR

Os requisitos para inscrição no curso são:

Categoria 1:

- Ensino Médio Completo
- Quatro anos de trabalho profissional comprovado como ator e/ou diretor.

Categoria 2:

- Atores e diretores com menos de quatro anos de prática e/ou em processo de curso do Ensino Médio;

Categoria 3:

- Atores e diretores que já tenham registro profissional.

COMO CONCORRER A UMA VAGA

- Preenchimento da ficha de inscrição;
- Xerox do RG, CPF e Carteira do Trabalho, se já for portador (a) de uma;
- Xerox do comprovante de conclusão do Ensino Médio;
- Xerox de comprovantes de outros cursos e oficinas realizadas;
- Comprovantes de tempo de trabalho profissional (quatro anos para a categoria 1, e menos de quatro anos para a categoria 2): xérox de qualquer tipo de material publicitário (cartaz, programa, material de revista, jornal, periódico), declaração de institutos, produtores, diretores de espetáculos (informando o número de seu DRT no documento abaixo de sua assinatura), notas contratuais, enfim, qualquer meio impresso de comprovação da atividade profissional. Não são aceitas fotos nem vídeos.

INSCRIÇÃO
As inscrições estão abertas até o dia 27 de agosto de 2010.

FUNDAÇÃO CULTURAL DE ILHÉUS
RUA JORGE AMADO, 21 – CENTRO
Das 12:00 às 18:00 horas
Procurar Flávia ou Pawlo Cidade

SELEÇÃO
Com as fichas de inscrições preenchidas e seus respectivos comprovantes, a Organização do Projeto Retrate Interior selecionará os participantes, utilizando como diferencial o tempo de experiência do candidato e ensino médio completo, conforme requisitos das Categorias 1, 2 e 3, respectivamente, e após as entrevistas na sua Cidade pela comissão de seleção, em data a ser divulgada, serão anunciados os selecionados para a edição do projeto em 2010.

DURAÇÃO DAS OFICINAS
Início: 13 de setembro de 2010
Término: 05 de março de 2011
Tempo total: 6 meses
Carga horária: 240h

ESTRUTURA DAS OFICINAS
Turno Vespertino: Aulas de Segunda à Sexta, das 14h às 17h30. Sábados de 9h às 13h

Turno Noturno: Aulas de Segunda à Sexta, das 18h às 21h30. Sábados de 9h às 13h

As oficinas serão realizadas em semanas alternadas, uma em sala de aula e a outra para realização de atividades complementares. O curso será formado por 12 oficinas, conforme abaixo:

• Módulo A – Interpretação
Oficina de Interpretação I, II e III

• Módulo B - Aulas teóricas
Oficina de Análise de texto dramático; História do Teatro; Ética, organização social do teatro e produção; Estética do espetáculo;

• Módulo C - Técnicas Especiais
Oficina de Técnica vocal, Técnica corporal, Improvisação, Técnica de clown, Mímica Corporal Dramática.

O Projeto Retrate Interior encaminhará os concluintes das Oficinas que atendam aos requisitos da Categoria 1 à obtenção do registro profissional junto à Delegacia Regional do Trabalho (D.R.T.) através do SATED Bahia. Em momento oportuno, todo o detalhamento processual para este fim será especificamente apresentado.

CONTATOS
MIL PRODUÇÕES ARTÍSTICAS LTDA
Sibele Américo (Diretora de Produção)
Telefax: 71 –3341-6149 / 3341-5795
E-mail: milprod@terra.com.br

SATED: Fernando Marinho (Presidente)
Telefax: 71 – 3322-2098
E-mail: fernandomarinho@satedba.com.br

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

FILARMÔNICAS IRÃO RECEBER RECURSOS DO ESTADO

Sociedade Filarmônica Capitania dos Ilhéos

A DIRETORA GERAL DA FUNDAÇÃO CULTURAL DO ESTADO DA BAHIA torna público a relação das filarmônicas credenciadas no Programa de Fomento às Filarmônicas do Estado da Bahia com suas respectivas pontuações obtidas a partir da aplicação dos critérios publicados em D.O.E de 24 de julho de 2010 e as definições do valores máximos destinados a cada filarmônica contemplada, para realização de: aquisições de instrumentos e acessórios para instrumentos musicais, aquisição de fardamento e consertos em instrumentos musicais.

No Litoral Sul, as Filarmônicas de Canavieiras (Grupo Musical 2 de Janeiro), Itacaré (Associação Filarmônica São Miguel) Maraú (Filarmônica Lira da Conceição) e Ilhéus (Sociedade Filarmônica Capitania dos Ilhéos) receberão entre R$ 24.000,oo e R$ 26.000,00.

As filarmônicas deverão acessar os sitios na Internet pertencentes à Fundação Cultural do Estado da Bahia e à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia nos endereços www.funceb.ba.gov.br e www.cultura.ba.gov.br, respectivamente, e efetuar o download (baixa) do formulário Proposta de Plano de Trabalho que deverá ser preenchido e encaminhado à Fundação Cultural do Estado da Bahia – DIMAC/Música, até o dia 09.08.2010

Endereço para postagem (até o dia 09.08.2010)

ESCREVER : PROGRAMA DE FOMENTO ÁS FILARMÔNICAS

Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB
DIMAC/Música
Rua Gregório de Matos, n° 29 – Pelourinho
CEP: 40025-000 – Salvador / BA

Horário de atendimento ao público:

Segunda a sexta-feira, das 14h às 18h.

Observação: Possíveis diligências feitas deverão ser respondidas até o dia 24.08.2010, seguindo os mesmos critérios de envio do formulário.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

MOSTRA UNIVERSITÁRIA SALOBRINHO DE AUDIOVISUAL


MUSA - 1ª Mostra Universitária Salobrinho de Audiovisual é o primeiro evento, no sul da Bahia, de discussão e exibição da produção audiovisual produzida por universitários baianos e filmes de cineastas do nosso estado.
Nos dias 20 e 21 de agosto, o bairro do Salobrinho, em Ilhéus-Ba, sediará a 1ª MUSA, atraindo o público universitário, estudantes, professores, profissionais e admiradores da sétima arte. A Mostra acontece exibição de vídeos produzidos por universitários baianos, além de longas e curtas-metragens. A 1ª homenageada da MUSA será Dona Valderez, moradora do bairro e atriz com participação crescente no cinema nacional e premiada no 38° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro pela sua primeira atuação, que aconteceu no filme “Eu me Lembro”, de Edgard Navarro, que também tem presença confirmada no evento.
A mostra competitiva de curtas-metragens está aberta para produções de universitários de toda a Bahia. Os vídeos enviados serão submetidos a uma curadoria que selecionará quinze curtas, dos quais três serão eleitos pelo júri popular. Os que não forem escolhidos farão parte de uma mostra paralela não competitiva. Além disso, a MUSA será palco de bate-papos com diretores, atores, produtores; serão ministradas oficinas de Roteiro e Produção para Cinema, além de uma exposição de obras filisminográficas do artista plástico Ayam U’Brais.
As inscrições estão abertas até o dia 06 de agosto. Inscreva-se AQUI

sábado, 24 de julho de 2010

ROTARY CLUBE DE ILHÉUS LANÇA CAMPANHA PARA CONSTRUÇÃO DE BIBLIOTECA


O ROTARY CLUBE DE ILHÉUS lançou no último dia 23 de julho a Campanha "Seja um guardador de livros". O objetivo é a construção de uma moderna biblioteca pública para alunos e comunidade da Escola Rotary, do bairro da Barra, em Ilhéus. A campanha começou vitoriosa. O lançamento contou com a presença de várias autoridades e rotaryanos. Pawlo Cidade foi o autor da história que embalou a campanha: "O guardador de livros". Saiba como participar quando a campanha for para as ruas através do site: http://www.guardadordelivros.com.br/

quinta-feira, 22 de julho de 2010

CURSO PROFISSIONALIZANTE DE TEATRO EM ILHÉUS


O SATED - Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos do Estado da Bahia estará promovendo um curso de qualificação profissional para os artistas de Teatro do Sul da Bahia. É o Projeto RETRATE INTERIOR. O curso terá uma duração de sete meses e será dividido em módulos. A única exigência do sindicato é que os artistas participantes tenham, pelo menos, três anos de atividades. É bom preparar todo o material necessário para inscrição que deverá ser feita em breve na Fundação Cultural de Ilhéus, como por exemplo, cópias de RG, CPF, comprovante de escolaridade (histórico escolar, comprovamente de matrícula etc), comprovantes de impressos de trabalho (programas, cartazes, matérias de jornais, revista, agenda, nota contratual, declaração de instituições ou produtoras, ou ainda diretores. Enfim, qualquer material que comprove a participação do artista na atividade.

IMPORTANTE: NÃO SERVEM FOTOS NEM MATERIAL AUDIOVISUAL.

Maiores informações pelos telefones: 73.3634.8986, 9998.2555, com Pawlo Cidade.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO PALCO


No Teatro tudo é permitido e, ao mesmo tempo, proibido. Todas as regras pre-estabelecidas de repente passam a não valer nada. O Teatro é paradoxal, contraditório e, acaba em alguns momentos se transformando numa arma. Muitos se arriscam em sua experiência, poucos compreendem a matriz dionisíaca que se apodera dos corpos frágeis e poéticos.
O Teatro é um processo. Só quem vive compreende as dificuldades e as alegrias. Plateia cheia, bilheteria gorda, nem sempre representa satisfação. Há uma grande diferença entre quantidade e qualidade. De cada cem pessoas, sete assimilam a mensagem. Sete são responsáveis por amar aquilo que fazemos. “Sete serão apenas aquelas que lerão o que escrevemos”, disse José Delmo.
Por falar em José Delmo, eu o vejo como o poeta da carne crua, da mão nua, do coração de papel. O mestre da arte cênica que apontou os caminhos e que descobriu seu próprio destino. O ator é um homem só. O escritor é um homem só. O diretor é um homem só.
A solidão procura no artista a descoberta. O artista encontra na solidão a transmigração de seus pensamentos.
No Teatro, a dor finge que sente. Assim como o poeta que mente. Mente porque é capaz de dizer a verdade. Diz a verdade porque é capaz de mentir. Somos todos mentirosos dizendo verdades.
No Teatro existe cura. A cura acontece quando você se encontra. E se encontrando, encontra o outro. Assim, percebe que a arte é feita de encontros. Entre pedaços de papel, cenas improvisadas, gestos inúteis, marcações despropositadas, surge o personagem. É necessário uma desconstrução para então, e somente então, construírmos. A construção é um processo de evolução. “A arte e os artistas devem evoluir, pois, caso contrário, só lhes restará regredir”. Como artistas devemos estar revendo nossas ideias até o último suspiro. Nietzsche assim não o fez ao afirmar em seu leito de morte que se existisse um Deus ele seria o mais miserável dos pecadores?
No Palco, um papel, “mais do que a ação na vida real, deve ser uma fusão das duas vidas – a da ação exterior e a da ação interior – num esforço mútuo que visa a alcançar um determinado objetivo”
Para que existe o Teatro? Para a plateia? Para o texto? Para a técnica? O Teatro existe para o ator, sem o qual não pode absolutamente existir. Afinal, o que é leve? O que é insustentável no processo de criação? Como diria Stanislavski: “Temam os seus admiradores! Aprendam, no devido tempo, a entender e a amar a verdade cruel a respeito de si próprios... Falem a respeito de sua arte somente com aqueles que podem lhes dizer a verdade”.
Quem já sentiu uma corrente fluir dos seus olhos ou da ponta de seus dedos em direção ao seu companheiro de cena? As pontas dos dedos são os olhos do nosso corpo. O diretor é um psicólogo e um artista e até certo ponto ele também precisa ser um ator. “Um ator vive, chora e ri em cena, e está o tempo todo atento as suas próprias lágrimas e sorrisos. É esta dupla função, este equilíbrio entre a vida e a atuação que constituem a sua arte”, disse Salvini.
O Teatro tem um palco. Um palco insustentável e leve. (Publicado na coluna Coxia, Caderno 2, Diário de Ilhéus, em 10/07/2010)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

CANGAÇO E AS AVENTURAS DE JOÃO E MARIA ESTÃO CONCORRENDO AO TROFÉU JUPARÁ


O espetáculo Cangaço, vencedor do Prêmio Manoel Lopes Pontes (2008) e Jurema Penna, (2009), ambos promovidos pela Fundação Cultural do Estado da Bahia, assim como o espetáculo infantil As Aventuras de João e Maria estão concorrendo ao Troféu Jupará. O primeiro na categoria Teatro Adulto (no stand tem Cangaço Itabuna, erro da comissão organizadora) e o segundo na categoria Teatro Infantil. O stand de votação em Ilhéus é em frente a Fundação Cultural de Ilhéus. "Quem assistiu aos espetáculos ou não e quiser votar na gente é só levar a identidade", diz a produtora Viviane Siqueira.

A votação será até o dia 17 de julho de 2010. Corra logo e dê seu voto.